segunda-feira, fevereiro 04, 2013

Das coisas que me acontecem #03958689BA-Ref.2

Os meus professores de sociologia diriam que é o contexto onde me movimento e os admiradores do blog poderiam atribuir isto a uma certa propensão para 1) observar o mundo de uma forma diferente da habitual e/ ou 2) chegar aqui e ter capacidade para descrever um fenómeno pequeno e fazê-lo maior que a vida. 

Mas eu diria que é uma questão de karma, um certo cheiro que eu exalo que atrai situações bizarras. E mosquedo.

Hoje saí de casa durante dois minutos. E nesses dois minutos tive tempo de despejar o lixo e encontrar uma senhora cá da terra que não via há muito tempo. 

Karvela - Ena há tanto tempo! Está igual, está óptima!
Mrs. E. - Também você. O menino, está bom?
Karvela (já cheia de nervos por causa de chamarem menino ao garoto) - Está bom. Então, está tudo bem? A vida corre bem?
Mrs. E. - Mais ou menos.
Karvela - Então...?
Mrs. E. - Vou ali acima atrás dele, ver se o apanho com a amante. 

Perdão? Vai só ali e depois? Já volta? É que foi mesmo à queima-roupa. Nunca mais me queixo de um "tudo bem" respondido à cão só para me despachar.

Já fui à varanda 5 vezes e ainda não ouço peixeirada mas não é mentira que acabo de ouvir uma sirene.. 

Karvela 

1 comentário:

Black Sheep disse...

Muito bom! Tens de sair de casa mais vezes, é o que eu te digo. Vai despejar o lixo pelo menos duas vezes por dia. E sim, eu também detesto que chamem "menino" e "menina" aos bebés e aos miúdos em geral. É como se lhes chamassem desgraçadinhos, tísicos, enfezados...