sexta-feira, novembro 05, 2010

Girl over 30 = girl under pressure

Se há uma pergunta que me irrita é "Quando é que tens filhos?"; mas apontarem as minhas futuras incapacidades parentais antes de existir sequer o vislumbre de um infante é coisa para me deixar instantaneamente em modo Karvela.

No outro dia mostrava orgulhosamente a uma pessoa que nem sequer é família (porque se fosse levava logo uma chapada com as costas da mão) que tinha conseguido arrumar a minha parte das estantes do escritório, sendo que ter um escritório é o único luxo que estes nossos setenta metros quadrados permitem. Em vez de receber o esperado "Olé! Esta é talvez a melhor arrumação que eu já vi em toda a minha vida!", foi-me oferecido um "Quero ver onde é que pões isto tudo um dia que tenhas um filho." Apanhada de surpresa, respondi "Olha, os livros é que não podem sair daí. Ele que durma numa gaveta, que eu não tenho espaço!"

O que raio pensou esta pessoa para me dizer uma coisa destas? Eu tenho pouquíssimo espaço para roupa, por isso é impossível tirar de lá os armários. Os livros do doutoramento ocupam uma série de estantes, por isso também não me agrada a ideia de os recolocar noutro sítio da casa. O futuro pai da criança inexistente precisa de jogar Civilization por isso o PC também não pode sair e a secretária também não dá para tirar, porque senão onde é que ele apoia os cotovelos? Pronto, no escritório não dá. Sobra o nosso quarto, mas eu gosto de dormir e diz que crianças e dormir são palavras incompatíveis. Hmmm... na sala não me dá jeito porque é o meu local de trabalho. E agora que montámos o cadeirão da IKEA não vou certamente lá pôr um berço, coisa inestética. Sobra o meio da cozinha mas isso é o quarto do Óscar, e o cão já cá estava. Na marquise às vezes chove e eu não vou estar a comprar um berço para ficar todo empenado no primeiro mês! 

Se calhar, em emprenhando sem querer, mais vale dar consentimento para adopção e fazer alguém feliz com esta criança, já que segundo algumas vozes eu não vou poder, e enumero:
- Manter o escritório (mas quem é que acha que eu vou privilegiar o escritório em relação ao quarto de uma criança? QUEM?)
- Acabar o doutoramento (podem dizer-me que vai ser difícil, estou ciente, mas já ouvi rumores que é impossível... uuuuuh... como é que os outros fazem...?)
- Ter o cão em cima dos sofás (e ele é tão mau...).
- Andar sempre nas compras (porque com o salário de bolseira eu estou constantemente a comprar jóias).

E, a minha favorita, 
- "Fazer a vida que fazes agora"

Este da vida que faço agora tenho a certeza que posso continuar, porque os futuros avós já se ofereceram para ficar com uma putativa criança quando eu bem necessitar. Por isso acho que posso largar o puto mesmo no patamar da escada dentro de um cesto daqueles da fruta, tocar à campainha, acelerar violentamente o carro e ir à vida desregrada, alcoólica e praticamente sidosa que mantenho agora. 

Karvela (Karvela irritada = post dos antigos)

15 comentários:

Anónimo disse...

Tanto p comentar....
Tive a C há um mês e meio e durmo as noites todas q a alminha adormece às 22h ou 24h e só acorda pelas 7h ou mais, como hoje... O espaço partilha-se! E desde que ela nasceu raros foram os dias em q n saímos de casa, já tivemos um jantar de despedida de um amigo q vai trab p outro local e ela também foi ao jantar, vamos almoçar c o Pai dela porque os dias estão bons e a Fábrica da pólvora tem almoços na esplanada e a criança apanha sol... Deixa lá... Qd eu era pequena toda a gente se escandalizava porque eu dizia que queria produção independente... Qd estava casada toda a gente perguntava porque é que eu não queria filhos... E agora que vivo em pecado e tenho a C toda a gente acha o máximo e toda a gente tem muitas opiniões e conselhos para dar... (incluindo a coisa do "n podes fazer a mesma vida"... o certo é que tenho feito... sem ir ao cinema q n dá jeito amamentar lá...)
Bjs
T

Sofia Grilo disse...

Tão bem, mas tão bem!

António Manuel Dias disse...

A julgar pelo que acontece no nosso site, prevejo que este irá ser, para todo o sempre, o artigo com mais comentários do blog. Deixa só que as aranhas Google o descubram e passem a sugerir para pesquisas como "não quero ter filhos" feitas a partir do Brasil :)

Loira disse...

ahahahah
Tudo disparates, não ligues!
Tirando a parte de dormir, no nosso caso, que o raio do miúdo continua a acordar de noite... o amor incondicional é o que me impede de o por a dormir na garagem, onde poderia gritar a noite toda e não era ouvido! :P

estrela666 disse...

Vou aproveitar algumas dessas frases para atirar à minha sogra/tia do namorado/prima com filhos/cota com filhos... Acho que acaba logo a curiosidade! Chegaram ao ponto, de no Natal entregarem-me um postal a pedir um bebé como prenda?! WTF!?

Mariam disse...

:-)
Muda tudo, quando eles nascem. Muda tudo! Móveis incluídos, a vida, a maneira de olhar para o mundo, e o lugar do coração. Ficamos assim, totalmente rendidas. Eu tive quatro, e cabem todos!

Anónimo disse...

A criança cabe o nde há amor :) com 1 truque: mezzanine!

Arnaldo

Pecadora disse...

Muda mesmo tudo! E nem tudo para melhor... E quando se emprenha sem querer e não se consegue habituar à ideia durante os 9 meses de prazo estipulado? Mas ninguém prorroga o prazo, por mais que se peça...
A criança nasceu, chorei baba e ranho de tanta felicidade e muito medo ao mesmo tempo! O amor é incondicional, mas às vezes não é. Não sei como explicar. E há por aí muita mãe que me excomungaria se lesse isto. A criança não era planeada, mas é amada acima de tudo, mas nunca consegui fazer como algumas colegas que se anularam completamente quando tiveram um filho. Tudo o que compram, vêem, fazem, pensam, etc. é em função desse filho. Eu, ao fim de 11 anos, sou mãe às mão-cheias, mas sou acima de tudo eu, até poque a minha filha também é ela própria e, mais dia menos dia, segue a vida dela e eu terei de continuar a saber ser eu sem ela. Mais vale saber sê-lo ainda com ela.

Anónimo disse...

Meu Deus, quase te compreendo... quanto a mim, ninguém duvida que eu seja capaz de ser mãe. O problema é que se eu tivesse tido um filho de todas as vezes que já me perguntaram se estava grávida, já teria entrado para o Guiness como a mulher que mais tempo passou de pernoca aberta. Irra, gente mais desocupada!
Ana Isabel Gândara

tagouy disse...

Sim realmente vão precisar de um espaço para a criança, mas no meu caso a tua sobrinha só foi para o quarto dela qd já tinha 15 meses, por isso têm imenso tempo para pensar numa solução...
Sim algumas coisas vão mudar temporariamente, pq qd os teus filhos forem maiores de idade vão querer ter o seu espaço e tudo volta à normalidade, voltas a ter uma casa só para ti, um escritório cheio de livros sem que ande uma criança de volta deles a rasgá-los ou a riscá-los... e um espaço p o teu gajo jogar à vontade, voltas a poder dormir descansada todas as noites e agora possivelmente terás companhia para ir às compras contigo :))
Pelo menos eu penso assim...não precisas entregá-la para adopção...

bjs

PS: eu tb me ofereço para de vez em qd ficar com a criança, desde que ela seja menos acelerada que a mãe ihhihiih

Ana disse...

Quando era mais miúda, dizia que não queria casar, nem tão pouco ter filhos.
Do meu grupo de amigos, fui a primeira a casar (e a divorciar também), e já tenho dois filhos.
Nós mudamos. Para melhor.

Hyug Badox disse...

Muito bom.
O quotidiano e o horizonte vistos do lado interior e do lado de quem não tem nada a ver com isso.

Gosto. Parabéns!
Volto cá e recomendo.

Anónimo disse...

Dizes apenas que não tens tempo para o fazer!!!! Acho que essas conversas servem apenas para os fazer esquecer o orçamento ou a inexistência dele!! Mas no caso de decidires aumentar a prole... confia na tua amiga... comida durante noite.. nem pensar... olha para mim.. "mãe quero leitinho"..... até aos quatro anos!! A criança não tinha fome nenhuma... a mãe é que a habituou mal.... Doutoramento e filhos... vejam os números... certamente uma grande percentagem... vive... acasala.. tem filhos... e faz o doutoramento. E vida social à criança? desde que sai da maternidade... de pequenino se torce o pepino! Beijos do Ribatejo HC

Zariza disse...

ó filha xa lá que quando a criança nascer cabe em qq cantinho, e tu nha krida vais ser uma rica Mãe, uma rica Mãe oubistes???

Quem ousar dizer o contrário é porque ou não te conhece ou não sabe o que é ser Mãe.

Undisclosed Recipient disse...

Não sei se já vos disse mas amei profundamente todos os comentários a este post.