sexta-feira, janeiro 08, 2010

Se calhar estamos mesmo no séc. XXI

Ou então não. O casamento homossexual foi aprovado na Assembleia da República. Dia histórico para quem é a favor, dia histérico para quem é contra. Os comentários nos diversos jornais online são de um primarismo quase animal. Um comentador diz que deveria haver referendo e que a partir de agora não vota, já que não querem ouvir os portugueses. Todos os dias se discutem assuntos importantes na Assembleia, frequentemente aprovam-se leis; é o trabalho deles ali na Assembleia. E o povo, impávido, borrifa-se e passa à frente. Políticas de emprego, combate à corrupção ou o escandaloso debate sobre a avaliação dos professores passam incólumes nos radares destes morcegos. Cegos, completamente cegos. Cegos e com vontade de ir aos saldos, que um referendo ainda é coisa para gastar uns milhões de euros.

Numa coisa tão básica como um contrato entre duas pessoas (que se foda a religião e todas as suas tentativas insidiosas de interferir com a vida privada dos cidadãos!), diz que já não vota, já está passado da marmita. Uma família é pai e mãe - e às vezes só pai, às vezes só mãe, às vezes o pai, a mãe, o padrasto, a madrasta e os meios irmãos, bem... mas isso são detalhes! - uma família não é casar dois homens ou um homem e uma cadela ou, impensável, um homem e um cão!

A paneleiragem estragou o dia a este senhor, já chega a casa e vai falar torto para a querida esposa, aquela com quem ele casou porque podia. Mais tarde dá-lhe porrada. Ontem chegou-lhe a roupa ao pêlo porque não está feliz com o trabalho na repartição, hoje é porque o casamento enquanto instituição sagrada (nunca enquanto contrato previsto na lei para parte da população há muitos e bons anos) já não significa nada. O olho negro de hoje tem muito mais significado simbólico que o apertão no braço de ontem.

Karvela

6 comentários:

tagouy disse...

Não podia concordar mais contigo, especialmente na parte final..é triste mas é verdade...

Nuno disse...

Bom texto. Subscrevo.

Mariam disse...

A mim o que me tem chateado é que as fotografias das notícias são sempre com mulheres ou miúdas, nunca são com homens. Até parece que a homossexualidade é só feminina. Fora isso, estou na boa. Desde que respeitem a minha opção sexual - demasiado vulgar -, eu respeito a dos outros também. Cada um leva aonde quer.

Piston disse...

És muita grande!

Wyrm disse...

Um dos melhores posts que li por aqui. Referendar aquilo que diz respeito a dois individuos...

Não estamos assim tão longe do fanatismo que adoramos condenar nos outros.

volp disse...

Continuo sem perceber porque raio uma parte da nossa população acha que deveria decidir se duas pessoas que se amam podem ou não casar.