quinta-feira, outubro 18, 2007

Let me through! I'm old!!!

Hoje tive um daqueles diálogos que não se passam apenas na minha cabeça.

Cheguei à paragem do 714 e já estava cheia de gente. Estava na minha, a ouvir o Portugalex, bem dispostinha, tinha ido às compras (encontrei um maravilhoso relógio do Jack muitíssimo contrafeito... mas a 10 érios o que é que eu queria?), e não sabendo quem estava à minha frente deixei entrar uns quantos que se calhar não estavam lá antes.

Começo a ouvir um burburinho atrás de mim "... rmbsdag afadfa gente à frente sadbv pfdsojf" e, sem mais, um senhor com uns 75 anos que tinha chegado depois de mim ultrapassa-me e entra.

Karvela - Eu sei que estava gente a passar mas o senhor continuava atrás de mim.
Senhor - blá blá blá blá blá blá...
Eu estava com os fones ainda, não ouvi nada, mas não parei de falar como boa teimosa da merda que sou:
Karvela - Tem razão, deixe lá. Tem toooooda a razão. Tem razão. Não sei o que está a dizer mas tem razão!
Tiro os fones
Senhor - Você é que tem razão!!! (what?)
Espero que o senhor se sente. Páro a um metro da cara dele, faço cara de "não mandas em miiiiiiiiiim!" e digo:
Karvela - Pois tenho razão!

E vou depressinha para trás para ele não ter hipótese de responder.

Eu sei que é infantil mas fico furiosa com pessoas idosas nas paragens dos autocarros. Uma pessoa dar-lhes o lugar eu compreendo. Até mesmo deixar passar à frente para não estarem muito tempo em pé na paragem. Mas uma ultrapassagem daquelas matou-me. Faz-me lembrar o que a dona da senhorinha disse à mãe da maria no dia seguinte a termos ido ver o nosso novo sobrinho emprestado (vide este post).
Falavam as duas senhoras entre si sobre o miúdo e sobre as amigas terem ido visitar a nora, etc., quando diz a frase "São umas miúdas, não entendem nada!"

Ok. Amiga, companheira, monte de merda em forma de pessoa com casa foleira:

Ponto 1: Odeio que subestimem as pessoas pela idade que têm. Eu não sou menos porque sou jovem, tal como não sou mais porque sou jovem, eu sou diferente. A juventude não está perdida e se eu falo mal dos putos de hoje em dia é porque eles muitas vezes têm a idiotice dos 15 anos e não porque são mais novos que eu. Também não acho que todos os velhos ou mais velhos são estuporados, a maioria são velhinhos queridos e um bocadinho sós e eu adoro velhinhos. Só não gosto de belhos. Entre velhinhos e belhos há uma diferença, que é a de os belhos serem intratáveis. E o punheteiro do belho estava atrás de mim na paragem!

Ponto 2: eu odeio ser subestimada. Ponto. Se há coisa que me enfurece e que me faz rodar a baiana é acharem que sou estúpida. Sou desastrada, distraída, um nadinha feia e tenho as pernas desproporcionais em relação ao tronco. Sou nariguda, míope, não me lembro de datas de aniversários e como a gordura dos bifes. Mas não ofendam a minha inteligência, não pressuponham que sou idiota porque falo depressa e vou de encontro a mobiliário variado, não pensem que sou burrinha porque passo o tempo a rir porque, normalmente, estou a rir de alguém e, normalmente, é da pessoa que está a achar que eu sou burra porque estou a rir.

Ponto 3: hoje vou ver o bebé outra vez. Make my day, bitch...

Karvela (pázinha virulenta, hoje...)

7 comentários:

maria disse...

amei. é mmo assim e mai nada.
em 79 nasceram ssoas muito fixes...

love you

Mack disse...

WTF?!?

Já vi que te substimar faz saír o soviético em ti.

Também não gosto de substimanços, mas normalmente recorro ao estado primário e fico fisicamente violento.

O melhor insulto de autocarro que já recebi foi "eu quero passar para a frente mas tenho aqui este morteiro à frente"
ao qual eu respondi "veja lá se o morteiro não lhe ensina a ser educada ó sua velha do car@#$&!!!"

Vês... a eloquência foi-se toda.

Flávio disse...

Suponho então que hoje seria um mau dia para te insultar?
Não tens licença de uso e porte de arma, pois não??

Tagouy disse...

Eu não tenho nada contra os velhos, só contra aqueles que batem no meu carro, nem se dão por isso, não querem assinar a declaração amigável e obrigam-me a ser má e chamar a polícia...eles não são uns queridos, são uns filhos da mãe que julgam por andarem por cá há mais tempo têm mais direitos que as raparigas novas e ninguém lhes vai dizer por terem aquele ar de coitadinhos...

PS: já é a 2ª vez que me lixam a vida e o carro esta semana estou anti-velhos
PS2: enquanto não tiver o meu carro arranjado vou continuar a ser anti-velhos

Anónimo disse...

O belho só é "punheteiro" porque há muitas jovens como tu que, apesar de afirmarem que gostam de velhinhos, não são capazes de lhes dar uma "mãozinha".

dauphin disse...

que engraçado... constato agora que o mack, que persegue ferozmente o fenómeno crispim e o seu português, também dá calinadas na língua materna... sim, ele escreve subestimar sem 'e' duas vezes no seu comentário a este post... mas fica descansado, eu não conto nada ao crispim nem a ninguém, pázinho.

Anónimo disse...

o que eu me ri agora à gargalhada!!!
sou toda de acordo. eu tb dou encalhanços na mobilia, tb pareço completamente despistada, farto-me de cair no meio da rua, MAS...
:D