segunda-feira, setembro 24, 2007

Bem vindo ao mundo, puto... que a Força esteja contigo!



Esta noite fui com a maria, a mana maria e a titan ver a nossa amiga que acabou de ter um bebé e vive os primeiros dias da criança na casa dos sogros.


Primeiro, a casa cheia de gente, algo que comigo nunca ficaria impune e que levaria com a minha ira pós cesariana mal deixasse de ter um andar novo. Depois, a mobília. Por Deus, a mobília. Dá Deus nozes a quem não tem dentes e é bem verdade. Um casarão enorme, canito amigável mas ladradeiro no quintal, por fora até nem é horrendo. Pelo menos de noite.
Mas por dentro é algo para deixar uma pessoa ceguinha: azulejos até meia parede, bustos, colunas com dourados na escada em mármore. Este pessoal da terrinha deve pensar que é o Sultão do Brunei. Pior: uma bonita estante, no patamar seguinte das escadas, com pratos. A minha mãe também tem pratos na parede, é uma ideia peregrina de decoração de interiores que me deixa com os cabelos em pé. Mas toda uma estante, na sua altivez, em destaque nas escadarias foi algo que me deixou estéril no momento.


O golpe de misericórdia ainda estaria para vir, mas depois de pensar em tantas piadas que não se podem dizer a uma mãe recente e muito menos a uma avó recente sob pena de amanhã eu ser considerada uma assassina em série (envolviam os McCann e/ ou atirar o puto pela janela e eram todas pelo bem da comédia!), estava prestes a explodir.


Chega um batalhão de gente para ver o bebé (suponho que estejam lá todos os dias) e agarram no puto sem pedir licença (mais uma vez sofreriam a minha ira, nomeadamente ao nível do palavrão e da injúria contra os seus antepassados), e a mãe vai sentar-se na cama, deixando livre uma espécie de sofá que, como muito bem me relembrou a mana maria se chama senhorinha. Uma senhorinha é um tipo de móvel que serve muito bem para lenha. Se alguém me desse uma senhorinha eu teria de o matar. A minha mãe já teve uma senhorinha. A minha mãe não é grande coisa em decoração de interiores. Creio que o meu pai foi dar uma volta com a senhorinha um dia e a deixou num campo cheio de senhorinhas abandonadas.


Como se sabe, há certas imagens que fazem implodir a World Wide Web e a senhorinha deve ser uma delas porque é impossível de encontrar. Apenas numa loja online encontrei um tímido exemplar.

No Lagostim não tememos implosões e, por isso, eis-ze-lia. Mas esta senhorinha onde me sentei não era tão simples como o modelo acima. Esta senhorinha era uma valente: bordeaux, de veludo e cheia de borlas e tranças por tudo o que era lado. O golpe de misericórdia veio quando a mana maria se lembrou de opinar.

Mana maria: Sabes como é que se chama isso onde estás sentada? É uma senhorinha!
Karvela: Eish, já nem me lembrava! Para um objecto tão feio é bastante confortável.

A sogra não ouviu, mas viu-me bem quando fiz cheerleading com as borlas, o que para uma pessoa com aquele nível de requinte deve ser o mesmo que lhe partir o dálmata de loiça ou riscar-lhe os azulejos que tem até meia parede.

Boa sorte, puto. Não, a sério.

Karvela

7 comentários:

maria disse...

pois é amiga...este puto precisa de ser forte. Robusto e determinado. Tem sem dúvida que conviver mais com as tias... tem que aprender a esfrangalhar senhorinhas (as de madeira, que servem para sentar e aquelas avós e tias e coisas...).
Temos que aparecer mais vezes. mas só depois de tirarem os pontos da barriga daquela mãe. Correm o risco de ferir uma vista a alguma de nós! afinal de conta são agrafos como os das caixas de cartão dos frigorificos...

Mack disse...

E cães de louça não havia?

E pratos de louça com lagostas e/ou hortaliças em 3D, também não?

E terrinas gigantes em cima da mesa?

E lustres a imitar velas derretidas?

E casinhas e moínhinhos pendurados na parede?

E flores de plástico?

E azulejos pintados com quadras e rimas?

Tenho saudades "da terra" em toda a sua glória... a malta da cidade não tem aquele savoir-faire em termos de decoração rústica... ou como diria um colega meu, robústica.

Maria Vinagre disse...

LOLLLLLLLLLL

Karvela no seu melhor!

Também eu fiz cesariana!
Também eu fui "malhar" a casa da sogra!
Tem uma decoração tipo museu de arte antiga... mas não tem uma senhorinha, temos pena!

T.O.A. disse...

O nascimento de alguém é sempre motivo de felicidade...

Por falar nisso: Já se sabe quem é o pai?

Hã?...

Arnaldoooooo disse...

Casa sem o quadro do menino da lágrima não é casa. Façam chorar a criança e faz uma pintura em óleo.

bj

puta valente disse...

Até eu fiquei a torcer pelo puto... tadinho!

Anónimo disse...

sódona Karvela Filipa, era só para a informar que posso mandar fazer as senhorinhas que desejar, com tecidos à sua escolha e com os pinduricos que desejar!! sabe que daqui da loja, a malta atenta do seu berloque não quer que lhe falte nada, hein?
fale com a sua maria, que ela lhe indicará uma BOOOOOOA loja de interiores (aproveite e traga a mãezinha), onde algumas pessoas poderão vir a receber uma simbólica comissão sobre cada modélito...
Ah, já quase me esquecia. Também fazemos pechichés.
Best rigardes, GL