quinta-feira, março 16, 2006

Traumas e infâncias

Na faculdade, uma colega tinha uma teoria. Dizia ela que todas as raparigas que ela conhece que hoje têm o cabelo muito comprido foram obrigadas em pequenas a cortar o cabelo muito curto. Eu sou a prova viva da verdade desta teoria, pois em criança meu cabelo foi cortado à tigela vezes sem conta, ostentando também uma gloriosa mini franja. Hoje, assumo a testa gigante e exibo uma melena que começa a chegar perigosamente à cintura.

Isto a propósito de outro trauma de infância, os dois nomes próprios. Eu tenho dois nomes próprios e já está mais que decidido que criança minha só vai ter um nome próprio. Noto que muitas das minhas amigas com dois nomes têm filhos com apenas um.

A propósito, eu adoro o meu nome. O primeiro é lindo, luminoso, positivo. O segundo também não é mau, mas é todo betinho. Revelo-vos que o meu segundo nome é Filipa. Há apenas cinco pessoas no mundo que me tratam por Filipa – um tio, uma tia e as três filhas. É mais chique, sabe? Mas noto variadíssimas vezes que eles não me tratam por Filipa, mas sim por Felipa ou, pior, F’lipa. E isso só me dá vontade de mergulhar de cabeça numa piscina cheia de pedras da calçada.

O meu pai insiste que os meus dois nomes juntos são lindos. Eu insisto que com umas meias de vidro, uma saia travada, uma permanente mal feita e um acordeão, poderia perfeitamente ser cabeça de cartaz num concerto no Centro de Dia cá da terra.

Karvela F’lipa

7 comentários:

virgolina disse...

A teoria do cabelo concordo. Tenho o meu meio curto e qd era miúda usava-o comprido. Qt à do nome n concordo mt. O teu, o 1º (claro)/a é limpo e tb "notável" em latim. Qt ao 2º n m traz boas recordações.

strumpfina disse...

Eh pá, eu ando mesmo ao contrário! Quando era pequena usava cabelo curto à tigela e continuo a gostar de usar o cabelo curto, dispenso é a parte da tigela.
Nomes — eu cá, fico-me por NOME. Os meus pais foram um visonários...

Zariza disse...

Amiga qual Cátia Vanessa...
Quanto aos nomes tb os meus pais foram os visionários... unzinho chega

myst disse...

2-0 para o post
tenho que concordar com as duas mas o meu segundo nome é só usado em casa porque há 3 Anas é complicado...

Dauphin disse...

Espectacular! Que máximo, uma acordionista!;)

Nota que há exemplos felizes de criaturas que têm 2 nomes próprios. Se não fosse o meu segundo, nunca me identificaria com o primeiro que é para toda a vida...

Mas adorava ver-te de franja! Ooohh beibe!

kramer disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Arnaldoooooo disse...

F'lipa, bora jogar aos f'lipers?