quarta-feira, julho 31, 2013

Baby post. Alert. Alert. ALERT!

Ó gentalha, eu até gostava de dizer que nada muda e que continuo a viver a vida desregrada, sidosa e dependente de substâncias diversas que tinha antes, mas olhem, lamento. Isto de ter um puto dá trabalho. Felizmente não é bem o puto que dá trabalho, é mais o resto que fica por fazer. Portantos, tenho um Pequeno Camarão, lindo, betíssimo com os seus folhos e rendas, limpo e cheiroso. Ou com uma t-shirt dos Led Zeppelin, calças de ganga e pé descalço, coberto de migalhas de bolacha e com pêlos de cão e de gato agarrados aos joelhos, aquilo que vos parecer mais credível vindo da minha parte.

À volta empilham-se pratos e copos e lixo e algures há-de estar uma colher de pau que preciso para mexer os jantares que não tenho tempo de fazer. Agora já gosto da Bimby. Também tenho roupa, tanta roupa. Nada que me sirva porque é para 12 a 18 meses. Não que ele tenha 12 a 18 meses mas não tenho culpa de ter parido um Zé Pereira. Eia bem, se ele se chamasse mesmo José Pereira e fosse daquele tamanho era coisa para lhe render um mundo de dor na adolescência.

Entretanto, parte daquele primeiro parágrafo estava em rascunho, foi escrito numa altura em que o puto não gatinhava e, portanto, esqueçam lá isso de ele não dar trabalho. É preciso é ir afastando coisas mais ou menos palpáveis como comandos, lápis e electricidade.

Entretanto meia blogosfera, como diria o meu rico Piston, está a parir e por isso a perder a piada. A Pipoca já se pôs a jeito com a história de não amamentar. É bem feita, fique calada. Vê lá se eu vim para aqui contar essas merdas. Nem acho que as pessoas mereçam respeito pelas suas opções, acho só que ninguém tem nada que ver com a vida alheia. Toda a minha filosofia espiritual em relação às escolhas pessoais baseia-se mais em tédio e em desinteresse que em respeito. É um dom.

Depois estar a fazer uma tese sobre direitos das crianças não ajuda, fico paradoxal, toda paradoxal. Daqui a uns anos vou ter que lidar com um pirralho a reivindicar merdas "ah eu tenho direitos e o camandro" e eu vou ser forçada a fazer o exercício mental sofisticadíssimo de "castigos corporais tudo bem, falar sobre eles no blog sem a sua autorização é que não!"

São 10h30, o meu dia começou às 6h30. Era só.

Karvela

2 comentários:

Piston Homem disse...

Comovido.

Anónimo disse...

Para que saibas, este É o melhor blog da blogosfera!
Digo eu, que o sigo anonimamente há, pelo menos 5 anos, já estive na blogoesfera e saí e - curiosamente - venho sempre, SEMPRE, cá parar!
Parabéns pelo Camarão, tudo de bom e ai dele que seja motivo para parar o blog.