sábado, julho 02, 2011

Body language

Ontem dei com umas imagens do casamento daquele pessoal que vive num calhau e que diz que é melhor que nós porque nasceu com dinheiro e inserido numa abstracção chamada realeza. E fez-me espécie a fleuma sul africana da garota. 
Comparado com outro casamento de outro pessoal que também vive num calhau (num calhau maior, vá!) e que também diz que é melhor que nós porque nasceu com dinheiro e inserido numa abstracção chamada realeza, noto uma ou outra diferença.

[Legenda feita à moda da Hola, que é alterando os nomes para não envergonhar o pessoal que não sabe pronunciar palavras em estrangeiro. Ou seja, todos os espanhóis, sem excepção (refriyeratór; I louwe dju)]

Guilherme - Olhem para ela. Não, a sério, olhem para ela. Até com um naperon nos ombros é boa! Hoje chego ao palácio e parto-lhe aquilo tudo. Win.
Catarina - Cum cuaralho, casei com o meu namorado de há uma catrefa de anos. E um dia destes vou ser rainha. Epic win!

Carlota - Quandoéqueistoacaba? Quandoéqueistoacaba? Quandoéqueistoacaba? Ew ew ew ew ew.
Alberto - Como é que é aquela música do coiso... do... aquela que começa tan tan tan tananan... não vou conseguir pensar noutra coisa o dia inteiro... tan tan... tanan... ahgh!

Karvela (a resposta é Eye in The Sky, Alan Parsons Project)

3 comentários:

Mariam disse...

A Kate deve ter estado a cerimónia e festividades seguintes toda a pensar na melhor forma de aniquilar a mana e seu rabo-surpresa.

Os do Mónaco... a sério. Mesmo. Não quero imaginar uma queca. Que é logo o que uma pessoa normal tenta imaginar quando vê aquele beijo(?)...

Pedro Couto e Santos disse...

Alan Parsons Project, bitch?!

You. Are. Awesome.

Anónimo disse...

Quer a Carlota quer o Alberto etavam a pensar no mesmo....no William



Arnaldo