terça-feira, agosto 31, 2010

Projecto Moda Episódio 6: Vamos todos requisitar um chinês!

Meus bidés, lamento a demora mas esta deveu-se ao facto de o programa desta semana ter sido tão chato que adormeci a meio e acordei hoje às 3 da tarde, envolta em baba e dona de um estupor que não sentia desde que levei uma anestesia geral.

Ao fim de 6 episódios entendi o esquema do programa:
- Um conjunto de imagens de tudo o que se vai passar no programa
- Desafio parvo
- Gente a queixar-se do desafio parvo
- Gente a dizer que se vai embora porque não consegue lidar com máquinas de costura, tecidos e outros utensílios que faz deles estilistas
- Decisões irracionais por parte do júri
- Um conjunto de imagens de tudo o que se vai passar no programa seguinte


Adiante, camaradas, adiante.

Desafio: transformar peças antigas da Modalfa em objectos de design contemporâneo. Tradução: mais uma vez levam com os restos da Modalfa e tecidos a sério viste-los...! O twist: têm que vestir um cão também.

O perv do Reis queria vestir crianças; mais tarde admite que ficou contente por serem animais e não crianças. E ficou verdadeiramente excitado, a confiar na imagem...

Talvez um bocadinho excitado em demasia...


O desafio não foi suficientemente explícito porque era suposto fazer um coordenado para a manequim e, cito,  "um coordenado, digamos, para o cão". E só o Reis é que fez uma roupinha para cão que era uma doçura, uma fofura um cutchi!

O André queixa-se (gente a queixar-se, neste programa? Onde? Mata!), que a vida dele é um kagma, é um kagma. 

A Carina rebentou a bolha da Vera quando lhe disse que não usasse bonés como ombros porque o Dino Alves já o havia feito antes. Ahhh, então o Dino Alves é o júri convidado? Só sabia isso desde a semana passada - obrigada senhores da RTP, por nos mostrarem tudo antecipadamente e não criar qualquer tipo de surpresa no espectador, que a população é envelhecida e ninguém quer sustos cardíacos. A propósito disto, a Carina emitiu a frase com mais negativas jamais proferida em televisão: "Não se deve repetir nunca nada que alguém tenha feito. Acho que é de uma extrema falta de educação para com a outra pessoa". Ou plágio. 

Outra boa frase partiu do Amorim: "Mau olhado não, a esta hora!". Vou passar a usar. Também a expressão "Não podemos requisitar um chinês?", do André tem o seu charme. It's funny because it's racist, I guess.

Claaaaaaaaaaro que o André não conseguiu coser a roupa, claro que teve que ter ajuda, claro que ficou... SAFO! Mas vamos já às farpelas que isto desde a saída da Rojina deixou de ter diálogos decentes. E o mentor até menta e tudo e isso enerva-me os nervos! Paulo Gomes, a tua eficiência magoa-me a alma. Porque é que ficaste bom, de repente? 

Amorim: está certo, não era bom. De todo. A roupa para o cão era uma coleira que dava com a fita da modelo. Mas também não era assim tão mau. Não entendo muito bem porque não usou camisas, que era um detalhe que não nos tinha sido transmitido até o júri lhe perguntar o que havia dentro do saco que lhe tocou... opção errada, talvez. Contudo, saída totalmente injusta, não porque estivesse bem feito mas porque a opção era esta, abaixo.

André: momento WTF da semana. O. Que. Era. Aquilo? O São Bernardo levava uma sela e a moça parecia uma figurante de um filme B, futurista, cujo estilista era cego e que depois do acidente bizarro com uma faca eléctrica só conseguia coser com a mão esquerda. E nem sequer foi ao escrutínio do júri. Ficou salvo. 

Carina: também não gostei. Ao início fiquei tão ofuscada com a fofura do chapéuzinho que nem me apercebi, como bem apontaram os juízes, que o casaco que ela usara para fazer a saia continuava a parecer um casaco, com direito aos braços e tudo. Depois de bem vistas as coisas, é daquelas farpelas produzidas neste programa que devia ser enfiada na vala e regada com gasóil.

Reis: lindo, adoro, este homem tem que ganhar senão parto esta merda toda. A roupa da cadela não estava muito visível nas fotos disponíveis no site, e as do animal também nem por isso (*parram tchá!*). A cadelita levava um corpete com atilhos nas costas, pelamordasanta! Era tão cutchi que doía. A roupa da mai velha estava o máximo, tendo em conta que o Reis tinha calças para trabalhar. Amei, quero duas, mas sem as rosetas nas ancas, que se eu usasse aquilo não passava nas portas.

Vera: ó Vera. Porquê? Não é mau mas também não é, de todo, bom. Ainda bem que ficaste salva. Vamos esquecer este momento, ficamos amigas como nas últimas semanas e para a próxima porta-te bem senão vamos ter que conversar. Vá, passa à frente.

Isto no fim depois foi BEM dramático. Durante 10 segundos. O André agradece à Carina pela ajuda e diz que desiste do programa. 

E agora já temos muitas lágrimas, que eles já são pouquinhos e já bate que o próximo posso ser eu e assim pia mais fino! O Amorim saiu com algum desportivismo, gosto do rapaz, tem piada. E a Carina desfez-se. A seguir ao anúncio da desistência do André mostra culpa pela saída do Amorim mas, talvez mais interessante, como ficou nos dois últimos, a verdade acabou por subir. Ela não estava a chorar por ele, mas sim por ela mesma...

Carina - Eu tou assim porque eu ajudei o Amorim a ir-se embora, é tão simples como isto!
Vera - Olha, desculpa, não és culpada...
Carina - ... mas ele não tinha nada que ter ido, percebes? Não tinha nada que ter ido!
Vera - Não foi por isso, não foi por teres feito meia dúzia de pontos...
Carina - E se tivesse sido eu a ir-me embora?
Vera - Isto é uma competição, temos que começar a pensar mais como competição...

À boa maneira de ejaculação precoce a que este programa já nos habituou, não demorou mais do que um "whaaaa...?" para o André regressar a dizer "ah e tal desisti da desistência" e aparecer no briefing da Nayma e nas imagens do programa seguinte. 

Ou seja, já sabemos que o próximo programa e sobre roupa mulheres grávidas. E que vão comprar tecidos, desta vez!!! Mais vale não ver, com tanto suspense, que não sei se os meus vasos aguentam tanta mocada!

E eu sei que não percebo bem NaymaMinguês, mas ela diz "Calipo" no fim? 

Dois dos nossos júris desejam-vos boa semana.



Karvela (P.S. Kudos ao kramer pela ideia do podengo!)

6 comentários:

É que não me apetece fazer o log in disse...

Eu não quero ser chata nem quero estar aqui a defender o André que nem sequer é o meu preferido. Aliás, o meu preferido é mesmo o Reis que dos que ali anda é o melhorzinho.

Mas sinceramente, irrita-me um bocado a maneira como todos eles desde o início do programa lançaram uma guerra ao André. Eu sei, eu sei, que não é nada fácil (a sério, eu já tive um colega como o André, não é fácil) lidar com uma pessoa assim, acredito que eles passem um mau bocado mas também têm que ter alguma noção do que dizem e tem que se lembrar que as pessoas estão a ver aquilo.

De facto, o André não se entende com a maquina mas viu-se que ele coser á mão até o faz bastante bem. O problema é que obviamente isso não lhe dá tempo, e por muito mais que os outros o tivessem ajudado com a maquina a verdade é que ele até se desenrascou bem sozinho. O que a Carina fez por ele no fim foi só uns retoques finais, mas ela e a Vera falavam como se a Carina lhe tivesse feito o vestido todo! Eles também que ter noção que as pessoas vêm o que se está a passar.

Again, não estou aqui a defender o André mas a fazer o papel de advogado do diabo porque se é um facto que o André é um "pain in the ass" também é verdade que desde o princípio que ele está "marcado" pelos outros e é um bocadinho irritante porque parece que tudo o que de mal acontece naquele programa a culpa é do desgraçado do André.

(Mas o desistir da desistência foi épico)

António Manuel Dias disse...

Não percebo se o cão da primeira modelo está com medo do vestido ou simplesmente excitado por aparecer na televisão, a julgar pela posição da cauda...

Anónimo disse...

Essa dos bidés é ca gente?
Lá em casa, já andávamos ansiosos com o atraso do recap...
Ana Isabel Gãndara

mãe pimpolha disse...

O André nem sabe o que é uma máquina da costura, ele é mais de agrafadores, fita-cola e cuspo.
O Reis merece mesmo ganhar e acho que me dá um treco se isso não acontecer.
Realmente não há suspense nenhum, no da Heidi fico sempre toda confusa, porque até nos conseguem baralhar.
Resta-me dizer que estes textos estão cada vez melhores.
Addoooooooro"!
Beijocas

mãe pimpolha disse...

Esqueci-me, tb adorava saber o que a Nayma diz no final. Já pus o volume no máximo e não consigo perceber. É calipo? Ahahahahah

Anónimo disse...

A Nayma no final diz "LALIPO" que significa adeus em criolo angolano ;)