segunda-feira, agosto 16, 2010

Projecto Moda Episódio 4: E tu, jovem, já pujestasmangas na bluja?

Behold, it's the future! 
A Modalfa faz 15 anos e o desafio foi criar a farda do futuro, sem uma data definida. Como o André ou o Amorim não começaram logo a fazer renhénhé que deveriam era ter dado uma data porque sem data um estilista fica sem criatividade é que me admirou. Foi mais ou menos unânime que fardas não é bem a coisa mais criativa do mundo, mas, nas palavras do Senhor Fuinha, "Mãos à obra!". É o "Make it work" dos pobrezinhos no cu da Europa. 

Momentos a reter

O desabafo do Amorim, como esperado, foi coisa para durar um minuto. "QUE ELITISMO ÉIESTE?". Achei mais piada quando fez um corte de papel do que do desabafo virado para os júris. Pussaaaay!

A Vera, de repente, tornou-se adorável aos meus olhos. Quero ser tua amiga no Facebook. *Call me!* Sou uma vendida... qualquer burra de saias que me sorria e pronto, agora dei nisto.  

Alguém enfiou uma cadeira no maravilhoso stencil MOMOMOMOMOMOMO do André e ele diz, com a sua dicção perfeita de bicha belfa: "Eu sou um éle a eliminar". És um bocado L, és...


A Rosina tentou fazer uma imitação perfeita do André mas depois de se ter rido à Muttley levanta-se e faz uma imitação perfeita do José Castelo Branco na altura da Quinta das Celebridades. A Rosina, em termos de referências de cultura popular está em 2004, em termos de sotaque está na guerra de 14 e em termos de roupa está numa masmorra sadomaso que se abastece de farpelas no Relógio (mais provas disto à frente). 

Um grande - todos juntos! - ALELUIA, que vimos o mentor a mentar como deve ser. A dar opiniões. Até a safar um ou outro concorrente. Até a adivinhar mais ou menos quem seria o eliminado. Kudos, Senhor Fuinha. 

Agora vá comer uma sopa e ala para a cama que isso não é cara que se apresente. 

A saída da Rosina só dá peninha porque vamos perder estes diálogos de manicómio:

Rojina - Eu hoje tou a ber chuba na passerele.
André - Tás?
Rojina - Tou...!
(...)
Rojina - Olha, já pujestasmangas na bluja?
André -Desculpa, maaas, sabes o que vou fazer?
Rojina - Não, só tou a perguntar se já pujestasmangas na bluja, eu ainda não pus no cajaco...
André -E quem te disse que a minha blusa tem mangas?
Rojina - Ah então desculpa então fui eu que percebi mal...
André -Acho que estás muito a leste do meu trabalho.
Rojina - Tou, tou tou muito a leste, desculpa.
(...)
Rojina - Eu achoq'hoje cainda vai chuber, inda inda. Preparem-se com roupa pápasserelle, galochas e capas de plástico.

Seguido de um momento de chuva não chuva para o teu lado chove todos os dias, não para o teu é que chove, não para o meu chove só de vez em quando. Decidam-se. Mas foi precioso. Sublime. Uma metáfora da vida moderna. A crítica à sociedade industrializada. O conceito de aldeia global. A modernidade de Giddens explicada em apenas uns minutos. Ou daddy issues.

Entra a Nayma. E eu agora compreendo tudo o que ela diz. Deve ser como começar a perceber o primo que anda na terapia da fala. 

Esta semana faço greve ao júri. Como escolheram bem quem fica e quem sai, vá, dou-lhes folga. Mas o Manuel Alves continua a parecer o Splinter das Tartarugas Ninja, a da Modalfa desta vez não ia vestida como uma personagem da Rua Sésamo e a velha já viu melhores dias. Pedro Mourão foi o convidado, que a Nayma teve que explicar que era conceituadíssimo. Eu assim até acredito, porque antes disso não sabia quem ele era. Agora fiquei a saber que é um bocado careca por cima e usa sapatos sem meias. Ou se calhar tem aquelas mini-meias da Decathlon. Dão muito jeito. 



As farpelas, por ordem alfabética, para não ofender ninguém, que eu não sou dessas intrigas:

Amorim
Meh


André
Um saco de plástico transparente com MOMOMOMOMOMO. Detestei.

Carina
Elas são da Modalfa ou são mórmon? Tapa mais um bocadinho de pele à  moça!

João
Não consigo decidir se estas calças lhe fazem a cintura alta ou a rata descaída. A moça é modelo e parece que tem 15cm. de perna! Lhark!

Reis
Adorei, amei, o Reis é Nosso Senhor e vergo-me ao casaco que pode ser usado de 5632387 maneiras. Quero dois.

Rosina
Não era inovador, mas não vejo onde era pior que o do João... seja como for, foi bem enviada de volta para a terra.

Vera
A Vera fez uma farpela que mistura uma reminiscência de Audrey Hepburn com um colete marado mas lindo e cor-de-rosa choque, o que só me faz gostar mais dela. BFF's?

E pronto, agora que não há Rojina para se meter com o André estou a torcer por um duelo André-Amorim, com muito pulso mole e muitos puxões de cabelo e muito chamar melhééééér eslarga-me pooooooorca! Vá, entretenham-me, que a minha vida é muito chata. 

A madame da Masmorra Faça O Obséquio De Mos Apertar, ao Conde Redondo, deseja-vos boa semana!

Karvela

8 comentários:

Anónimo disse...

AMEI!!!
P.R.

Rachelet disse...

A Rojina sempre dava aquele ar rústico à coisa. Agora, só sobra a gaiada ressabiada e as enjoadas. :/

Loira disse...

Nao vejo o programa mas tenho de ler sempre isto, fartei-me de rir com esta: Não consigo decidir se estas calças lhe fazem a cintura alta ou a rata descaída.
Só tu! :P

Loira disse...

Olha, nao tive de escrever nenhuma palavra esquisita! FIXE! (Sim, "fixe" é esquisita, mas ao menos foi escolhida por mim!)

flower_power disse...

<3

Anónimo disse...

acabei de ver a Rosinda no centro comercial do campo pequeno a sra ao vivo parece menos bimba :)

flower_power disse...

Fui só eu que reparei que o saco de plástico diz OMOMOMOMOM em vez de MOMOMOMOMO?

http://files.plueschesel.de/com/nomnomnom.jpg

mãe pimpolha disse...

Eh pá, tão bom.
Eu já só vejo o programa para depois lêr aqui o resume. Adorei.