segunda-feira, agosto 02, 2010

Projecto Moda Episódio 2: Eu sou uma régua uma régua!

A RTP fez o bonito favor de nos ofertar o video online poucos minutos depois da emissão do programa e, por isso, eis-me-ze-le a fazer o recap da semana.

Ah e tal a música de gente moderna esta semana é a Lady Gaga. O Senhor Fuinha encontra os concorrentes no Continente, com uma acústica de meter medo, e a Ana Brito (adooooro-a) claro que já estava à espera. Basta ver os outros Project Runway para saber que há sempre um desafio com cortinados, filtros de café e cascas de cebola. 

A lista de compras foi parva, claro. É sempre. Sacos de chá e talheres de plástico. E a Rojina, Presidente do Mundo, comprou 17 euros em sacos de papel e 25 euros em desculpas. “Ah, distraíram-me”, “Ah, tinha gasto pouco dinheiro e voltei para trás”. 

O André mereceu oficialmente o estatuto de vilão, tanto que até a Vara me pareceu um bocadinho menos irritante desta vez.


E foi esperta, usou um material que dá para coser. Pensei que fosse mais recompensada pela ousadia de não fazer um vestido. Como estava enganada. Aliás, depois do episódio de hoje eu acho que sou ceguinha e tenho que reformular o meu guarda-roupa, que o meu gosto pelo vestuário parece que anda coxo.

A frase: "Cámanhã é dia de passerelle". Hot.

O André disse que o vestido dele era inspirado no Bgasil? O Andrgué está a iguitar-me. Na semana passada a fúria descontextualizada da Rojina, Presidente do Mundo, parecia um bocado menopáusica. Mas depois do episódio de hoje só me apetecia enfiar o André num jerrican de ácido, que aquilo é menina para deixar qualquer interlocutor doido.

O diálogo a que os académicos um  dia chamarão O doce da Rosina. O que eu tenho de doxe tens tudamargo. Eu não estou a acreditar nisto. Eu não estou a acreditar nisto. foi valente e motivou uma expressão ao André. Uma expressão que, finalmente, escapou ao urbano sonolento bicha pedante chic.


Mas também gerou a discussão mais paneleira de toda a história da televisão portuguesa. E eu já vi algumas discussões bem paneleiras (aka todas aquelas que envolvem o Rui Santos).

Rojina - Quem não te conheça que te compre, saberá a rica prenda que leva.

Em off André diz que a Rosina está a fazer uma máscara de Carnaval e eu, que sou carnavaleira, já vi o pessoal que vai aos bailes da Sociedade Filarmónica Progresso e Labor Samouquense fazer coisas mais imaginativas e mais bem cosidinhas do que aquilo que a Rojina apresentou…

Rojina - Sabes o que é que isto significa?! Frontal! Directa! Xinxera! Berdadeira! Urgulhosa daquilo que faje.
André – Olha meu amor… eu venho da terra mais direita de Portugal, sabes?
Rojina – Tá bem e eu venho da mais alta de Portugal, sabes?
André –  Não quer dizer que sejam direitos…
Rojina – Olha isso é que eu não sei, direito contigo não sei…
André – Ah! Eu sou uma régua uma régua.

O André adora repetir adora repetir. Mas o André, por muito mete-nojo que seja, tem razão numa coisa: um bom técnico não é necessariamente um bom criativo e aparentemente estes júris não estão a premiar a criatividade.Depois houve lá uma conversa sobre cortar plástico com uma tesoura de pano e a Vara ainda gozou com a cara do André que, por sua vez, em pós-produção, transformaram no palhaço do It. As pessoas da pós-produção têm problemas ao nível da cabeça e o meu problema cardíaco previamente inexistente passou a existir.

A Joana Porta-Chaves acabou depressinha, ajudou os outros, foi fofa, na minha opinião não tinha uma farpela assim tão má e depois foi o que se viu. O mentor mentou um bocadinho. Deve ter dormido duas horitas dessa noite. Ainda deu uma ajudinha à Carina que, nas suas palavras, gosta de trabalhar sobre pressão. E à Rojina também deu bons conselhos. E até a Nayma está menos insuportável. Ou a dicção dela melhorou ou já estamos todos a falar NaymaMinguês. O júri foi o do costume mais o Ricardo Araújo Pereira. Mandou as suas piadolas, fez o que lhe era pedido, a mais não era obrigado. 

Mas desta vez vamos falar das farpelas. Ah vamos! Mas usem também a imaginação porque a qualidade de vídeo é ranhosita. A bem da verdade, a qualidade de vídeo na tv também não é a melhor. [Adenda: de facto, a qualidade não é boa, mas a RTP faz o favor de nos fornecer também as fotos, por isso fui lá gamar]


O da Vara era totalmente usável. Adorei a cor, o corte, o facto de não ser um vestido.O da Ana Brito parecia saído dos Jetsons mas em bom. A fatiota do Reis também era muito gira e por mim era a vencedora. Mesmo se, à semelhança da Ana, tivesse um corpete feito do tapa-sol do meu carro. Literalmente. Adorei os saquinhos de chá do André, achei inventivo, com uma bonita silhueta mas cuja junção, com alfinetes, foi destruída pelo Manuel Alves.


O da Joaninha não era assim tão mau, mas pelo valor que reconheço ao Manuel Alves, se ele diz que é primário não sou eu quem o vai contrariar. Até porque ele dirige uma escola superior de moda, e já viu muita bodega. E tem ar de quem morde e eu não preciso de mais doenças.

Agora os pesadelos ambulantes:


O fatinho da Rojina fez-me lembrar a praia e as sandes mistas embrulhadas em papel de alumínio. Era para lá de básico e torna-se cada vez mais claro que só estão a manter a Presidente do Mundo porque ela é material televisivo do bom. As esfregonas eram inenarráveis e o Valente, que tem um piercing ao canto do lábio que parece o palito de um mangas de Alfama era meh. 

Agora as colheres. As colheres. Vestido-jóia, diz a senhora irrelevante da Modalfa. Vestido candelabro-Pocahontas, diz a senhora irrelevante que escreve neste blog. Tinha um nível de gosto extremamente questionável. Se todo ele fosse em colheres, mas usar o truque faltou-me-o-material-por-isso-deixa-cá-usar-um-pano-preto-por-baixo-mesmo-assim-um-bocado-escasso, pareceu-me baixo e simplesmente não merecia ganhar. Porque não dar nova imunidade ao Reis, que apresentou uma coisa de jeito? BAH!

E, Joana, gostamos muito de ti mas BAZA! A miúda a chorar e o Senhor Fuinha a puxar pelo bracinho, do género "Tá a andar, pá, que temos que ir já gravar o da semana que vem antes que a dicção da Nayma fuja outra vez para Angola!"

Ai melhér, parece que tá colada ao assento!

Retrospectivando, foi melhor que o da semana passada, já se percebeu que a bitch não é Rojina mas sim o André e também já se percebeu que o júri tem que ser operado às cataratas. E com operado às cataratas quero dizer atirado a umas cataratas. 

Karvela

11 comentários:

Bxana disse...

Ai melhér, tu é que devias estar no juri!!! Podemos assinar uma petição?

Bxana disse...

Ai melhér, tu é que devias fazer parte do júri! Onde assinamos a petição??

RML disse...

O Fausto dizia, sobre a Europa, «não me toques o beat à americana que esse já nós conhecemos na versão original». Esta introdução absolutamente aleatória para dizer que, apesar de proporcionar estas brilhantes análises, para ver um programa de moda assim mais vale o Jaquina, Jaquina & Jaquina...

Anónimo disse...

só se admite a existência do projecto moda, para depois se ler isto... muito bom :)

headache disse...

Estou na Holanda e não consigo ver este acontecimento, mas os teus posts são melhores que "The real deal"!

Keep 'em coming!

droide disse...

thumbs up a todo o post :)

Eu confexo que engraxei um bocadinho ca Rojinha... :X

e o André tá feito bicha má (já sei que tds os Andrés são bichas, mas isto é estragar toda uma reputação associada ao nome André - vá lá que têm lá outra ligeiramente mais submissa.... *roll*), e aquela transformação em palhaço do "It" vai-me dar pesadelos. Bem, nem por isso. Mas pelo menos por-me a pau sempre que vir alguém a cortar plástico com uma tesoura de pano. O que espero que seja nunca mais, pq é algo q simplesmente não se faz, é feio.

Ass: André do face

Anónimo disse...

Mas este blog ainda existe?
Haja paciência para ler estas merdas todas sobre programas de merda feitos para ninguém se lembrar da merda em que estamos metidos...

Anónimo disse...

p.s.- epa isto é a brincar ó molusco... isto é teu e escreves aqui o que te apetecer. ;P

somebody disse...

Melhor anti-depressivo que conheço!

Beijo grande

rtx disse...

Quem está por fora do PM, e quem não sabe como decorreu as gravações do PM é tão futil como tu. és lerda, pq deixas-te comer pelos 50 minutos de programa, mas não sabes o que está por tras. Se calhar não sabes que eles tinham 24 horas pra fazer um vestido, coordenado, ou aquilo que a tua cabeça entende, e que o TEMPO não era coisa que faltava!! Agora eu pergunto, já que falas mt... Fazias alguma coisa em 24 horas com camaras a filmar e sobre pressão? Se calhar fazias... Fazias M.E.R.D.A!

.I. disse...

Certo, ali na foto 5, a contar de cima, só uma pequena dúvida: uma das mulheres é anã ou a outra é que é giganta?