sábado, agosto 07, 2010

Os 30. Um balanço.

Depois de anos e anos a lançar desafios à vida, encontro-me no fim do ciclo dos 30. Sou hoje uma mulher arrasada e abatida, uma sombra do que fui. 

Mentirinha. Sou uma pessoa ligeiramente mais ciente de que a merda, de facto, acontece. Contudo, só me consigo lembrar de três ou quatro eventos que possam fazer da minha passagem pelos 31 anos uma coisa pior do que foi a passagem pelos 30. Mas também me consigo lembrar de dezenas de eventos que fizeram dos 30 uma idade absolutamente memorável. O avanço incrível na carreira, que só tende a ser exponencial; o quebrar de laços um bocadinho menos saudáveis sem sinal de culpa; e uma renovada apreciação pelo que é realmente importante. É o que a idade nos faz. Sofremos perdas (especialmente ao nível do filtro mental que, esse sim, desaparece completamente) mas, se tudo se resolver dentro das nossas cabeças, ganhamos respeito pela pessoa em que nos tornámos.

Com cortes que me fizeram bem e perdas que me fizeram mal, recuos e avanços, é uma Karvela que se respeita que entra nos 31. 

P.S. A idade também faz com que cada vez mais acredite piamente que pelo menos 50% das pessoas com quem lido são palermas que merecem comer fezes ao almoço e sofrer de sodomia aguda a partir das três da tarde. Quando fizer 60 anos este número subirá certamente para a casa dos 90%.

Karvela 

4 comentários:

Maria Santos disse...

Parece que fazes anos... será?
Atão parabens "melheri"... esse balanço dos 30 ja o fiz ha uns aninhos... agora vais ter vontade de fazer todos os anos o balanço! Para o ano faço da decada... ok...
Faz como eu... ha uns anos que parei nos 25... fazer mais para quê??? aborrece-me!
Sê feliz! Tudo de bom!

Loira disse...

Eu, Mafalda, palerma, comento: És giraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!

NN disse...

Parabéns, rapariga, um resto de dia feliz e muitos destes.

Grandes verdades. Aos 40 vê-se a luz, a luz!

caseiro disse...

Então passate a barreira dos "intas"? simplesmente divinal porque as "culpas"..... que se lixem! É isso mesmo, seres tu própria, feliz, independentemente dos falsos moralismos sociais! Mas acredita no(a) NN aos 40 é.... a conquista do universo, por isso continua, só faltam 9!
Parabéns cá do Ribatejo!
Beijos