terça-feira, fevereiro 23, 2010

The wrath of the invisible man

O que é isto de agora todos os dias cair uma saraivada à hora de almoço e outra ao fim do dia? Sinto-me como se estivesse nos tempos de Moisés. Atenção que eu sou primogénita e jovem demais para ser ceifada. E, já agora, façam lá isso pelo melhor e não me partam os vidros da janela da sala que isto ainda foi coisa para custar para cima de vinte e cinco contos.

Karvela

2 comentários:

Mariam disse...

E eu a achar que era só em cima da minha moleirinha que chovia. Já não há bolas para aguentar mais monção. Tréguas, ó Neptuno!

Piston disse...

Baixa. Registei e aprovei. Gosto sempre que chova torrencialmente quando estou debaixo de um telhado.