domingo, abril 19, 2009

Músicas que me enervam os nervos parte #2945A

Mesmo no fim do périplo dominical pela Arrábida, ouvindo a M80, aparece uma música conhecida começamos a cantarolar. Senza Una Donna, do Paul Young, que é muito conhecido na rua dele, e do Zucchero, o senhor José Carlos Malato da Itália. 

Tralala, estou a cantarolar, até que reparo em algo que já tinha cantado vezes sem conta mas que hoje me fez espécie. Ora vejamos os primeiros versos:

this ain't the way, I spend my mornings baby
come stai?
you been with him, and now you come back lady
hey, what's he like?

I just sit, and watch the ocean
with myself, even doing my own cookin'
you can laugh, you're forgiven, but
i'm no longer frightened, to be livin'

senza una donna, no more pain and no sorrow
without a woman, i'll make it through tomorrow
senza una donna, givin' me torture and bliss
without a woman, better like this

A letra lá continua com coisas bonitas, mas no fundo a mensagem é "Vai-te mas é encher de moscas e desaparece que eu estou muito bem aqui com o portátil no colo, uma caixa de lenços de papel e o bookmark do YouPorn" ou "Ah queres outro, minha menina? Então toma e embrulha que eu tenho que ir transpirar para cima de engates ocasionais e/ou pagos, que sempre dão menos trabalho que uma porca que quer ir jantar fora e essas merdas." 

Está muito certo. Contudo, creio que logo ao início está a razão pela qual a gaja se pirou. Ele está a olhar o oceano e não sei quê, de mão dada com o Paul Young e queixa-se de quê? Das saudades? Do amor? Da vida? Não. De cozinhar. Até tenho que cozinhar... "even doing my own cookin'"... vê lá se te cai um bracinho! 

E daí, cozinhar para o Zucchero deve ser tipo alimentar dois regimentos de sapadores-bombeiros...

Pronto, mais uma canção que me enerva os nervos! 

Karvela ("ai que até tenho que ligar o fogão e pôr lá uma panela em cima e fazer coisas misteriosas que estranhamente se materializam em comida não propagante de e.coli...")

1 comentário:

Pecadora disse...

Ah que saudades que eu já tinha... Bem vinda ao seu cantinho, Karvela. Que feliz que estou por se ter fartado do Twitter. Já tinha saudades de me rir a bom rir com as visitas aqui a este estaminé.
Correndo o risco de a enervar ainda mais,deixe-me discordar da análise à cançoneta irritante: a ideia que eu tirei da coisa é que o Sr. Paulo Novo não se estaria a queixar por ter de ser ele a fazer a comidinha, mas sim estaria orgulhoso porque até já a consegue fazer sozinho...