terça-feira, abril 14, 2009

Milking that non-dairy non-fat raw cow

Tenho uma amiga de faculdade um bocado dada aos misticismos. Foi a pessoa que me introduziu a algumas filosofias de vida que ainda acho saudáveis mas que abandonei com o andar da carruagem. Porque gosto demasiado de ser racional nos meus teísmos e comer carne. Contudo, enquanto que os restantes amigos ou se envolveram na carreira para que estudámos ou mudaram e estão noutra coisa qualquer ou, como eu, andam a fazer pela vida, nomeadamente pela via da prostituição transsexual, esta meteu-se numa alhada mais interessante.

Primeiro encontrou uma coisa que é um jogo que as pessoas vão lá e, vá, jogam. E depois vão para casa. Aparentemente transformadas. Ou não fosse o chamado Jogo da Transformação. De vez em quando saio Pictionada ou Trivializada dos meus jogos. Ultimamente, pokerada. Mas está bem, amor, tu faz lá o que tens a fazer.

Hoje recebo o mail. O MAIL. O curso que esta miúda está a ministrar agora é de “Comida Viva”. Abro o mail. É um curso de preparação e degustação de comida crua, à base de frutas, vegetais e sementes, com o apoio de um liquidificador. Nada me soa melhor. Ou mais parvo. Uma das duas.

Tenho como regra de base para a vida em geral que, quando alguém vende algo com um adjectivo muito pomposo, a primeira pessoa que está a tentar enganar é a própria. Exemplos: “Magnífico palacete ajardinado” = roulote com avançado; “Espectacular conjunto de atoalhados” = fancaria que seca metade das mãos; “Álbum excepcional da telenovela da TVI” = o André Sardet está a perder cabelo e continua sem conseguir cantar, por isso já só entra praticamente nas colectâneas para poder pingar um ou outro direito de autor.

Isto parece-me mais ou menos o mesmo, já que os pratos que vamos todos aprender neste curso são:
Sumo da luz do sol = laranja com cenoura, não é? Diz lá. Vááááá…
Sopa maravilha de abacate e cenoura = sopa fria.
Salada deliciosa de quinoa germinada = nada está bem nesta frase. Nenhuma destas palavras joga com outra. Se fosse “Hambúrguer delicioso cheio de molhanga cancerígena”, vá. Mas “salada deliciosa de quinoa germinada” são quatro palavras que nunca se juntaram na minha cabeça.
Hambúrgueres de nozes e cogumelos = o que vai com estes hambúrgueres? Não sei, talvez uma salada deliciosa de húmus e chulé. Yum…!
Brigadeiros de alfarroba. Bem. Aqui tenho que me impor. Mandarem-me mails com comida alternativa tudo bem. Mas brigadeiros são de chocolate. O chocolate não é animal, o chocolate não sofre. O chocolate é planta e não há necessidade de substituir por alfarroba, essa comida que, na minha terra, se dá aos porcos.

Salada deliciosa de quinoa germinada, muito bem; substituir o chocolate, atenção. Estás a pisar em terreno delicado e, mais cedo ou mais tarde, vou ter que te assassinar numa viela. Mas vais cheirar maravilhosamente por dentro, brilhando como sumo da luz do sol.

Love you, babe, but you crazy!

Karvela (este post é passível de me valer uma retirada da mailing list dela… bolas…! Mas caraças se não é o meu melhor título de sempre!)

1 comentário:

galega disse...

dado que a tua amiga é dada aos misticismos, a única razão lógica e racional para substituir o chocolate por alfarroba...vá...isso é encosto!