sexta-feira, março 06, 2009

Cinq points, five points. Mesmo em cheio na testa, só pode!

Gente séria enviou-me mails - certo, Sandra? - os blogues quase foram abaixo, o twitter fervilhou. Tudo por causa do Festival da Canção. Diziam que tinha sido uma pimbalhada. Achei que estavam a exagerar. Achei que Romana era "Romana", Nucha era "Nucha" e por aí. Achei que estavam a mentir. Estava num jantar de aniversário. Achei que me estavam a enganar.

Mas não, não estavam. Quando falaram em pimbalhada, era pimbalhada literal. Um cartaz com Nucha, Tayti e Romana só se pode comparar às festas de São João Degolado da Terrugem...

A verificar aqui, que eu fiz um pacto de não agressão com o Lagostim.

Karvela

2 comentários:

Sandra Cunha disse...

E tu não viste as entrevistas feitas aos «artistas», pois não?!

Das «canções» propriamente ditas, gostei especialmente do Fernando Pereira e do 'Yes we can!" da Lucy. Principalmente da parte que diz: "sem Rei nem Roque então".

:)

Bjs

Dauphin disse...

Pára Tudo, ninguém fala mal da Luce!
A miúda estava com grande voz, pena a canção ser tão fraca - letra e melodia - o que fez com que ela passasse o tempo quase todo a gritar. Muito Obama, não é?e depois, não havia conceito e condução de uma mensagem, um poema minimamente consistente para ser musicado. E o guarda roupa? Que jolis, pá! Vi imensas capas daquelas no Carnaval de Torres Vedras deste ano, mas ninguém se lembrou de por um nenúfar detrás da orelha... inovador, portanto!
Tipo, quem é o Fernando Pereira? o das imitações?