sexta-feira, fevereiro 01, 2008

May an anvil fall on your head

No hi5 mandam-me votos de um bom Carnaval. Bonito sentimento, é uma miúda cá da terra, que sabe que toda a gente gosta de Carnaval por estes lados.


Envia-me, contudo, esta imagem:



Um arlequim não passa de um palhaço, vá, roto. É um palhaço que começou a pôr a maquilhagem e parou tarde demais. É um palhaço que decidiu que a sombrazinha ficava bem era a condizer com o folho. É um palhaço que começou como Croquete e acabou como Salete a cantar Shirley Bassey no Finalmente.
Na minha cabeça todos os palhaços me querem matar. Um arlequim não só me quer matar como depois diz que eu estava muito acabada e que se soubesse que eu me ia vestir tão mal no dia do assassinato tinha esperado mais uma semana para me dar oportunidade de ir aos saldos nos ciganos.

Karvela (obrigadinhos, amiga!)

4 comentários:

Minerva McGonagall disse...

Essas máscaras são autênticos filmes de terror!

Arnaldoooooo disse...

Por momentos pensei: olha...a Karvela está a prestar homenagem ao Claudio Ramos

Maria Vinagre disse...

GLORIOSO!

Eu também tenho fobia a palhaços... e aos mimos só me apetece arrebentar-lhes a cara á porrada!
Quanto aos tipos vestidos de animais de peluche (tipo o boneco do canal Panda), despertam-me os meus piores instintos homicidas e só me imagino a encher aquele rabe gordo empeluchado de morteiros e pontapés!
:)

Adorei este teu post!

botadeelastico disse...

Para quem é Palhaço, dói! Não posso, no entanto, deixar de rir com a ideia do Arlequim ser uma palhaço, vá, roto...
Todos somos palhaços, uns mais que outros. Uns assumem-se, outros não...
Ser palhaço é enfrentar a própria frustação, tentar ultrapassá-la e não conseguir... e com isso rir...
A ideia da criança de dois anos que tropeça em si própria, cai, levanta-se, olha para os pais, e mntém-se digna, sem chorar, e ri...
Gosto de palhaços, sou palhaço... Gosto de Buster Keaton, Charlie Chaplin, dois exemplos de palhaços...