quinta-feira, maio 24, 2007

Péééérái... faz lá marcha atrás...

Então um professor chama nomes ao Sócrates e é despedido. Certamente não foi despedido pelo Sócrates himself mas (como diziam ontem n'Um Prazer dos Diabos) por influências de pequenos poderes, como sendo filiados do PS, directores ou presidentes ou sub-whatever, exercendo vendetta contra um tipo que, surpresa!, é do PSD. Eu tenho a experiência em primeira mão de como os pequenos poderes são lixados: joguinhos e intriguinhas e merdices que só ficam bem até se completar o 6º aniversário e depois disso é infantilidade pura mas, como bom recibo verde que sou, faço um grande manguito aos poderes instituidos e falo de igual para igual seja presidente ou senhora da limpeza.

Até nem acho que o Sócrates seja realmente um filho da puta. Até gosto do senhor. Do Presidente já não tenho grandes certezas. Mas que muitos directores de tutelas e afins que andam para aí sairam das entranhas de uma meretriz barata... ah, disso não há dúvidas.

Karvela (P.S. Para quem sabe onde trabalho, não estou a falar do meu director; esse senhor, na minha opinião, não podia ser melhor chefe.)

2 comentários:

dauphin disse...

É um bocado de esquerda, não és?

Tagouy disse...

Tb gosto do Sócrates, só pela coragem de dar um abanão nos médicos, professores e afins, merece o meu apoio. Para esses senhores e senhoras: tb eu gostava de ter um emprego para a vida sem ter de me preocupar com o facto de não estar a ser produtiva...

PS: nem todos os funcionários públicos são assim, mas infelizmente parecem ser uma maioria