segunda-feira, março 05, 2007

Submarinos com carris

Esta manhã viajei de comboio pelos caminhos de Portugal e tive que parar 40 minutos numa estação intermédia. Se eu fosse pobre chamar-lhe-ia "Esperar ao frio num sítio cheio de aranhas para fazer um resto de percurso de 22 minutos", mas como me sinto chique vou chamar-lhe uma escala. Durante a minha escala fiquei sentada no único sítio da estação que não me provocaria hipotermia.

Ao lado, uma simpática idosa "Para onde vai?".
Respondi sinceramente.

Cinco minutos.

"É de cá?".
Respondi sinceramente.

Cinco minutos.
"Vai trabalhar?"
"Vou, pois! Sabe, eu sou uma daquelas prostitutas que agora publicaram livros a partir de blogs e vou a uma sessão de autógrafos."

Na verdade respondi "Mais ou menos", não porque não quisesse responder, mas porque ainda não sei como classificar o mestrado no resto da minha vida.

Karvela

3 comentários:

Arnaldoooooo disse...

Pelo menos tens um penteado lindo

Dauphin disse...

Tens a certeza que essa tese em construção está a apontar o teu caminho futuro?

That old anonymous disse...

Tadinha da minha menina, tão maltratada pelos caminhos de ferro portugueses....

Da próxima vez que quiseres viajar para o interior, diz-me, e eu mando-te uma limousine, com um motorista chamado Ambrósio. Com ele o único diálogo possível é (mais ou menos):

Karvela: Ambrósio, apetecia-me algo!

Motorista autista: Tomei a liberdade de pensar nisso, senhora!

Karvela: Bollycaos!!!!!

P.Ss. 1) Se tivesses de ir à pata era bem pior! 2) Essa tua mania de poupar o João Pedro! 3) "Love kills"!