sábado, janeiro 13, 2007

24 horas

Quinta-feira
23h30 - desligo o telefone ao kramer, o messenger ao Arnaldo e ao fartpudding dizendo "Sinto-me mesmo mal..."
23h40 - primeiro momento de vómito. Despejo o almoço, o que me faz sentir ainda mais enojada. E a frize que tinha estado a beber para tentar não vomitar. Não funcionou.


Sexta-feira
01h10 - segundo momento de vómito.
02h10 - terceiro momento de vómito. Neste momento decido que não vou conseguir ir trabalhar.
03h00 - quarto momento de vómito.
03h30 - quinto momento de vómito. Choro convulsivamente agarrada à sanita porque já não há nada para vomitar e os meus abdominais não trabalhados não aguentam a tensão muscular.
04h00 - sexto e último momento de vómito. Envio sms para meio mundo, incluindo o anjo que é uma colega de trabalho que passou o dia seguinte a tentar animar-me com mensagens de encorajamento. E para todas as outras pessoas com as quais tinha coisas combinadas. Por uma vez tenho o fim de semana mais ocupado de sempre e vou faltar a tudo. Felizmente, adiou-se.
07h00 - acordo com o som de mensagem do telemóvel do meu pai, que tinha recebido o aviso para não me acordar.
09h00 - telefono para o chefe dizendo que ainda nem me consegui levantar. Primeira reacção: "Fica em casa!". Abençoado!
09h20 - levanto-me, os meus pais mandam-me deitar. E eu, obediente, fui.
11h00 - acordo.
12h00 - como a primeira refeição do dia - água, torrada (singular) e mais nada. Constato que a tensão exercida pelos músculos lombares na noite anterior não permitem que me mantenha sentada a brincar na internet.
13h00 - E, por isso (e por ter dormido 3 horas) fui-me deitar.
17h20 - Acordo. Segunda refeição: 6 bolachas maria com marmelada e um chá de hortelã pimenta que mamãe assegura ser do melhorzinho.
18h00 - Adormeço de novo.
19h30 - terceira e última refeição do dia. Água e torrada (singular). Sinto-me fraca.
23h30 - ainda acordada, percebo que amanhã tudo estará melhor.


Sábado
10h00 - Fraquíssima, esfomeada, cheia de dores nas costas, acordo sem sombra de náusea. E com 1 kg a menos.


Further info:
Os meus pais não perceberam o que se passou. Não ouviram. Nada.

Como bónus, todo o tempo que passei acordada a contorcer-me com espasmos no estômago foram acompanhados pelo ressonar do urso que é o meu vizinho de baixo.

Senti-me totalmente anorética: duas torradas sem manteiga, seis bolachas com marmelada e água, água, água. Não sei como é que elas conseguem funcionar em sociedade... bem, se calhar não conseguem. Hoje tenho tanta fome...

1 kg a menos é bem catita. Huzzah!

Karvela

9 comentários:

BlueAngel disse...

E não arranjas uma dietazinha menos dolorosa? Votos de boas melhoras que isso não foi mesmo nada fácil! A agenda social vai saber-te bem assim que a puderes cumprir, vais ver que sim!

Anónimo disse...

Bem mais eficiente que as modelos brasileiras...

Casemiro dos Plásticos disse...

as melhoras, beijo

Minerva McGonagall disse...

As melhoras rápidas!

Zariza disse...

Tu põe-te boa miuda.... Já.

Beijas

Sandra Cunha disse...

Bem, se era para perder peso tinhas falado comigo que eu explicava-te como perder, não um, mas nove, nove quilos assim em dois ou três dias!

Bom, é claro que depois ficavas sem vida social durante pelo menos um mês inteiro porque não te conseguias levantar da cama e além disso pregavas sustos de morte (com a tua aparência) a quem quer que te visitasse.

As melhoras rapariga e para a próxima, fala com as profissionais primeiro :)

Anónimo disse...

(k)

x-prep disse...

Se eu ligasse ao meu chefe com uma história dessas ele dizia-me pa ir ter com ele, deitavam-me numa cama, punham-me um soro e com um bocado de sorte inda me metiam um supositório no cú! tens sorte em ter um chefe assim.

Vá, as melhoras e caldinhos de galinha

Anónimo disse...

O sexo alimenta e elas vão-se safando.