sábado, dezembro 30, 2006

Bom Ano Novo

Sempre gostei mais da passagem de ano do que das outras datas festivas, talvez por ter sido quase sempre desinteressada do aspecto religioso e, por isso, sempre me animou mais o profano nas festas. Como nos santos populares ou nas festas de aldeia, o que me interessa é comer algodão doce, estar com os amigos que nunca consigo ver durante o resto do ano, beber ginjinha. E é o mesmo com a noite de Ano Novo. É absolutamente profana, todos os que celebram têm em mente o divertimento e, lá no fundo, a esperança. O Natal deixa-nos melancólicos, a Páscoa não me diz nada, o Carnaval é apenas e só a puta da loucura (segunda festividade preferida!). Já a passagem de ano é a noite dos optimistas, e como optimista nata, é sempre bom sentir que há recomeço, que por muitas coisas que me possam vir a acontecer em 2007, a capacidade de regeneração é sempre superior a todas as coisas.
A não ser que morra em 2007, e aí já fico um bocadinho aborrecida.

Que em 2007 engordem pouco, não vos morra ninguém e não fiquem desempregados. É o que desejo também para mim.

Karvela (para a festa vou fazer Tang, é essa a minha surpresa, Tang)

3 comentários:

Minerva McGonagall disse...

Igualmente!

Anónimo disse...

Sabes a receita do Tag? Eu, se fosse a ti, fazia gelo....

Bxana disse...

Bom 2007, Karvela!:)