domingo, novembro 26, 2006

Cromos inesquecíveis do meu Portugal
A Senhora do Muita Força


Diariamente, um pequeno grupo de pessoas juntava-se à porta do DIAP onde Carlos Cruz estava em prisão preventiva. Alguns por genuína comiseração por aquele que foi uma figura tão presente durante tantos anos nos nossos ecrãs, outros porque era bem catita aparecer no telejornal. Nenhum cidadão conseguiu tal feito como a Senhora do Muita Força. Essa senhora surgia com um papel ao pescoço, no qual exibia umas colagens artesanais de fotografias Carlos Cruz e sua família, e onde se podiam ler frases parecidas com “Carlos Cruz estás inocente!”
Essa senhora, que já normalmente parecia extraordinariamente senil, atingiu um patamar de demência inesperado durante uma visita da Raquel Cruz à prisão. À saída, a senhora alapa-se a Raquel e diz “Muita força… muita força…”. Raquel, incomodadíssima, agradece e entra no carro. Mas desmobilizaste tu? Assim desmobilizou a Senhora do Muita Força! A senhora perseguiu o carro o máximo de tempo que lhe foi possível (até o condutor acelerar!), batendo com a mão na chapa a cada “muita” e a cada “força”. “Muita força muita força muita força muita força muita força muita força muita força muita força muita força muita força”

A Senhora do Muita Força entra, assim, para a galeria de Cromos Inesquecíveis do meu Portugal com o prémio “Não tenho muito que fazer em casa por isso deixa-me cá fazer um trabalho manual e ir apoiar qualquer coisa que passe na TV” e a menção honrosa “Ai, filha… deves estar ceguinha para achar que o outro está inocente!”

Karvela

3 comentários:

BlueAngel disse...

Não sei se se trata da mesma senhora, mas lembro-me bem daquela senhora que afirmou convictamente e sem reticências "Conheço-o muito bem da televisão" (referinndo-se ao Carlos Cruz).

Anónimo disse...

...isa,
um bem haja para a Sra do muita força!
Em primeiro lugar, pk tenho grandes memórias de idas ao tribunal...e, admito, já me ri muito à pala da desgraça dos outros, em pleno julgamento! E, o k seria de nós sem essas pessoas? Pensem...ninguém elegeria uma croma dessas!
O meu dilema consiste num simples pormenor...Qdo estalou o dito caso Csa Pia...eu...apareci na tv! Estava no outro lado da rua..e fui filmada num pequeno andamento da câmara! uau...eu sou uma star! Prefiro pensar k sou star a pensar k sou croma!LOLOL

Dauphin disse...

2 coisas: o teu post faz-me lembrar a música da Nelly Furtadona aquando do Europeu "COME-ME À FORÇA!", que se mistura na minha ideia com a imagem de uma senhora sem dentes que, frente aos portões da prisa, gritou indignada à reporter que lhe perguntava se achava que Carlos Cruz estava inocente no processo Casa Pia: «ISTO É UMA CAVALA! UMA CAVALA, CARAÇAS!». Esta frase instalou-se fortemente na minha memória. a música da Nelly também. Mas nunca tinha antes estabelecido este paralelismo íntimo entre estas duas realidades.