segunda-feira, setembro 04, 2006

Vou contar-te um segredo

Estive a ver o documentário sobre a digressão da Madonna que a trouxe a Lisboa. Eu estive no concerto (ainda me lembro de andar aos saltinhos no corredor do meu local de trabalho a dizer “Arranjei bilhetes para a Madonna! Arranjei bilhetes para a Madonna!”) e, claro, amei. Ela não canta duas notas afinadas mas tem uma presença, uma qualidade de diva, um je ne sais quoi…

Está a dar o documentário, e chegamos ao último concerto, Lisboa. Uns monumentos, umas vistas, tudo bem. Mas do que gostei mesmo foi do cenário do lado de fora da limusina que a levava para o Pavilhão Atlântico. Em letras garrafais aparece nada mais do que o logotipo LIDL seguido da bonita palavra, sempre boa para aparecer num documentário, XABREGAS. Perfeição.

Também gostei da típica oração antes do concerto. Se se lembram do Na Cama com Madonna ela também orava mas, como na altura ainda não estudava a Cabala, era uma oração mais certinha. Agora que é toda Cabalista é fuck para aqui e screw para ali. Eu também quero ter uma religião que me permita praguejar como um camionista com o orgulho ferido.

Karvela

7 comentários:

Anónimo disse...

Olá. Estive todo o dia a ler o teu blog (havia lido somente três textos) e todo eu fiquei pasmo: senti-me um Salieri deslumbrado e invejoso a pensar em Mozart. No que escreves não há nada que se possa apagar nem acrescentar: é sempre perfeito, lindo, único; É certo que os teus lábios são visíveis; mas é o teu olhar que se encontra em cada palavra - e se eu não falo agora dele é só porque não sou poeta. Contudo, há apenas quatro dias, um jornalista e poeta gaúcho escreveu: "Pode-se admirar um homem sem amá-lo. Mas não amar um homem sem admirá-lo." Como quem diz homem diz mulher, concordo mais agora, depois de ler-te. Fico a amaldiçoar os deuses por não me terem deixado ser Hayden Christensen: seria com todo o ar dos pulmões que gritaria "LARGUEM-A!... LARGUEM-A!"...
Muitos, mas mesmo muitos, parabéns. Fiquei cliente.
P.S.- Obrigado por publicares o meu comentário.

kramer disse...

parece-me que te andam a cortejar no blog. Será que alguém quer ficar paralítico?

kramer disse...

Tirando isso, em nenhum dos outros concertos vi tantas bichas malucas como no de Lisboa.

Peixe Aranha disse...

Madonna não é só uma artista. É uma máquina. Bem afinada, sempre rodeada dos melhores técnicos e especialistas para que ela não pare. Esquecendo isso, é simplesmente genial e tem mostrado bem como mesmo sendo uma estrela, se pode cair em todos os exageros sem nunca ser vulgar e ridícula! Admiro-a desde que me lembro. Admiro a sua capacidade de ultrapassar tudo e fazer o lhe dá na real gana sem nunca baixar o queixo!
AH! GANDA MADONNA!!!!

Minerva McGonagall disse...

Acho que arranjaste um admirador...

Concordo com o que disseste sobre a Madonna, não é afinada (peixe aranha, tens de fazer uma lavagem aos ouvidos), mas a sua presença é imbatível!

Mas não curti a cena da oração... Pareceu-me falso, filme para a câmara.

P.S.: Porque será que utilizaram a voz da Merche romero para o comentário? Estava um bocado fora...

BlueAngel disse...

Tb fui ao concerto e tb saltei de alegria quando tive o meu bilhete. Mais feliz ainda fiquei quando ganhei entradas para ficar no dance-pit. Já tinha visto o documentário e não tinha reparado nessas placas. Só mesmo tu Karvela, para ver uma coisa destas. lol Quanto à Madonna concordo contigo, mas nem por isso deixo de ser menos fã.

Anónimo disse...

Olá. Estivemos lá Karvela! ;) Também vi o documentário e devo confessar que a palavra "Xabregas" chamou-me atenção.
Tio Paulo