terça-feira, agosto 08, 2006

Dois bons exemplos

As socialites à grande são aquelas que, quando não têm história para contar, fabricam uma.

Lição de Lili: inovar.
A Lili, quando deixou de ser fotogénica fez um peeling. Quando toda a gente fez peeling, fez um mais forte. Quando o médico lhe disse que se fizesse mais alguma coisa à cara ficava com ar de quem tinha sido surpreendida por um rolo compressor, ela lá arranjou um quisto ao pé do olho.

Lição de Cinha: amigos bem colocados e fascismo na guelra.
A Cinha Jardim pode fazer o que bem lhe dá na gana, porque não só tem amigos em altos lugares da direita nacional, como a irmã é directora da Caras. Alguém da família Jardim dirige uma revista chamada Caras... não é o cúmulo da ironia, tendo em conta que elas são feias como bodes? Nunca esquecer um baixo nível de tolerância para com o povo, sendo que povo são todos aqueles que, não sendo exploradores de africanos antes de retornar sem tostão, ganham dinheiro com o seu próprio trabalho e não jantam croquetes nas festas.

Karvela

2 comentários:

Anónimo disse...

...isa,
fdx, ainda bem k ñ apareço nas revistas! Doutra forma já me tinhas tricotado um cachecol do tamanho dum boi!

Dauphin disse...

Estiveste bem. Mais particularmente na tua apreciação sobe a Cinha Jardim. É verdade, é feia como a noite de trovoada (merda, eu gosto à brava de trovoada, vou ter pesadelos com esta analogia), fala mal como uma provinciana, adora a direita porque sim, mas, acredita, é única no seu estilo, não há igual a ela! Ninguém, no seu perfeito juízo, provoca esta sensação de riso contagiante e profundo bem-estar pessoal quando ela aparece numa revista!