sexta-feira, junho 30, 2006

Loony bin

Estou, por algumas horas, a trabalhar na Secretaria. E fui forçada a ouvir a frase, por parte da já mítica Atilde: “A impressora precisa de lubrificação. Aqui só o que é lubrificado é o elevador, mais nada! Nada é lubrificado!”
Enquanto eu ria, uma colega menos maldosa tentava explicar as lógicas da lubrificação das várias máquinas cá do serviço*. E eu continuava a rir, e a Atilde continuava a dizer a palavra “lubrificação” para efeitos cómicos.
Karvela
* Aaaaah, o que eu gosto de dizer “o serviço”. Outros momentos em que se pode dizer “o serviço”: “Ó fofinho, o serviço é a 40 euros.”; “Já te fiz o serviço, toma lá a toalha”; “no meu serviço o que se faz mais é escrever em blogs”

4 comentários:

Arnaldoooooo disse...

Ó D. Patilde, importa-se de telefonar ai ao sr. Meireles, para ele me vir lubrificar a impressora? E já agora para me introduzir o toner....

myst disse...

A Atilde rula! vou sentir saudades desta agitação diária *

Susana disse...

Muito, mas muito bom.
Ainda estou a tremer com a foto da Ana Malhoa.

Luís disse...

caramba, não posso passar tanto tempo sem vir aqui. Não queria estar a abusar nos comentários. este é o ultimo. É que eu tb trabalho num serviço tal e às vezes mudo de serviço, e o meu serviço vai pa obras, e o serviço onde trabalha fulano é bom, e o serviço de pediatria do hospital não sei das quantas é o melhor e por aí adiante. O pior é que ag sempre que fale de serviço vou-me lembrar do teu texto e das meninas cuja profissão aqui identificas...:-)

inda queria falar sobre a Ana malhoa, mas já parece mal tanto comment