segunda-feira, junho 12, 2006

Goodness gracious me!

Uma senhora de origem indiana, casada com um português e com filhos já nascidos em Portugal, viu o seu pedido de nacionalidade rejeitado por não saber sobre a cultura e política do país, incluindo não saber cantar o hino. Acho muito bem que seja este um dos critérios (nos EUA é um critério muito importante!), apesar de não ser justo ser essa a única base de rejeição. Só que se a justificação para esta recusa é não saber sobre política e cultura, vão ter que retirar a nacionalidade a uns 6 ou 7 milhões de portugueses.

A notícia é esta: http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1260668&idCanal=10 – talvez a peça jornalística mais parcial dos últimos tempos, nas quais os magistrados são um bocado enxovalhados. Se eles viram provas que a mulher se estava a borrifar para Portugal, quem é a jornalista para tomar partidos? O jornalismo interventivo irrita-me. Uma Felícia Cabrita já é suficiente!

Karvela (O que raio quer dizer “perfunctório”? Nunca tinha lido esta palavra na minha vida, mas a verdade é que o Word a reconhece e diz que o sinónimo é “leve”, “superficial”! E ninguém avisa as pessoas destas coisas?!)

4 comentários:

Arnaldoooooo disse...

Este fim-de-semana vi uma senhora indiana, de shari, a fazer caminhada....

tagouy disse...

Concordo plenamente contigo, é uma peça demasiado parcial e revela alguma falta de informação por parte do/a jornalista...
E como é que ela vive cá há tantos anos e não sabe nomear personalidades do desporto, da cultura ou da política só revela que a senhora vive noutro mundo há parte ou como disseste está marimbar-se para os tugas...que canal de tv ela vê em casa??

Anaoj disse...

Por essa ordem de ideias, a Dulce Pontes devia ser expatriada, visto que ela se enganou por DUAS vezes a cantar o hino nacional do dia da mais bela bandeira do mundo.

Há gente estúpida...

Herrird disse...

É complicado.
Um á parte( boa escolha de titulo, lol)