quarta-feira, junho 14, 2006

Está a trovejar. É dia 14 de Junho, são quase 3 da manhã e eu venho de ver trovejar. Está uma daquelas noites nas quais relampeja por todos os lados, nem se percebe muito bem onde estão a cair os raios porque o barulho nem é daqueles que se pode contar os segundos até chegar a nós, mas sim um burburinho constante no ar. Sou muito menina quando toca à trovoada. Solto gritinhos de susto com os trovões. Não gosto de gritarias, buzinas e trovões. Mas desde pequena que o meu pai me ensinou que se estou a ver o relâmpago é porque está a cair noutro lado que não em cima de mim; o barulho é só o som do relâmpago a rasgar o ar. Adoro a imagem de “rasgar o ar”. Estou sempre de óculos, e às vezes, à janela, penso que se calhar o raio vem por aí abaixo e apanha-me em cheio nas hastes metálicas. Mas eu sou tão baixinha... porque é que um relâmpago me escolheria? E, isso sim, faria uma barulheira insuportável nos meus frágeis ouvidos.
Agora chove muito. E é dia 14 de Junho. E chove e troveja. São quase 3 da manhã e eu estou acordada porque bebi 3 cafés caseiros durante o dia para poder estudar com mais atenção. Só que eles fizeram mais efeito no meu tempo de relax, entre as 21h e as ... bem... as quase 3 da manhã. Não estou a fazer sentido porque é muito tarde. Por benevolência patronal, esta quarta-feira é dia dedicado às coisas da escola. Mas chove tanto. E quando chove tenho tendência ficar à janela a ver chover. E, se tiver sorte, troveja.

Karvela

4 comentários:

Arnaldoooooo disse...

Que poético.....

O Mafarrico disse...

Hmmmmmmm... Eu gosto de trovoadas. Sempre gostei. Quando era adolescente, ia passear o meu cão no meio das maiores borrascas. Havia qualquer coisa no ficar encharcada até aos ossos e com os ouvidos cheios dos rugidos dos trovões que me fazia sentir viva.

É claro que isso foi antes de eu ganhar juízo e me lembrar de que a trela do meu cão era feita de aros metálicos encadeados... Toda a gente tem as suas histórias loucas!

Hoje, ainda gosto de andar à chuva e de trovoadas, mas prefiro vê-las em casa. Tem piada, estou a escrever estas linhas enquanto troveja desalmadamente lá fora... Será que posso receber uma descarga pelo computador?...

Anónimo disse...

...isa,
tás toda torrada!

Luís disse...

Não sei se adorei este texto pelo tom nostálgico se por me identificar tanto com ele, mas q gostei lá isso gostei