quinta-feira, março 30, 2006

Títalu

Gosto de patinagem artística. Não sigo o desporto tanto quanto gostaria mas é honesto o meu carinho pelos movimentos, pela velocidade, pelo equilíbrio, pela forma física daqueles atletas. Isso e porque acho que é preciso ser um grande valente para ter uma lâmina afiada a passar rente ao corpinho e manter o sorriso! Apesar de não ser dos mais respeitados, tenho a certeza que se pode chamar desporto.

Esta ideia surgiu-me na habitual Filosofia da Meia-Noite, programa que passa na minha cabeça todos os dias da semana entre as 00h e as 00h02. Esta vossa que vos escreve, que acorda diariamente às 7h30, esteve até às tantas agarrada ao Campeonato Mundial de Danças de Salão, transmitido pela Eurosport. E nunca a patinagem artística me pareceu tão séria, desportiva e máscula.

Todos com os dentes muito brancos, todos com as peles muito bronzeadas; eles com camisas abertas quase até ao John Thomas, elas com um ar muito sensual mas com uns trapinhos que na feira de Carcavelos são vendidos às escondidas para não envergonhar os ciganos. Eles com um ar muito alegre mas muito ressabiado (“Ninguém está a olhar para mim....!!!!!”), e elas, umas cretinas que têm perfeita noção do que se está a passar (“Ninguém está a olhar para ele!!!”). As danças são estranhas porque não parece que estão a dançar. Parece que estão a sofrer horríveis dores no baço e que precisam de se contorcer e dançar muito depressa para aquilo acabar rapidamente e poderem ir para casa mergulhar os presuntos num alguidar com água e sal e comer uma sopa.

Cedo num ponto: têm um ar saudável, têm as pernas fortes, não são anorécticos. Já em relação à idade deles tenho dúvidas. Pareciam estar na casa dos 30, mas acho que com o bronze artificial eles só pareciam ter 30, porque na verdade a média de idades rondava os 14 anos!

Não vi a final porque desisti... comecei a ficar confusa. As russas não eram loiras, a americana tinha nome russo, e havia lá um casal de japoneses. Mas não era suposto ela estar carregada de merchandising da Hello Kitty e ele vestido de fato e gravata a ler Hentai e a sonhar com jovens de seios firmes a fazerem o doce amor forçado com os tentáculos de um mutante? E como é que eles fazem para não bater uns nos outros quando estão a dançar todos juntos nas várias eliminatórias? Será que têm aqueles apitos das carrinhas? E como é que a maquilhagem delas se mantém firme durante tanto tempo? É que eu às 10h15 da manhã já tenho o rímel a escorrer pelos olhos!

O momento de corte com o programa foi quando um dos membros do júri foi filmado brevemente e os comentadores deliraram, dizendo que aquela senhora era um mito vivo das danças de salão. Ostentava um peito enrugado associado a (mais) um bronze falso e um vestido que muito obviamente escondia as pernas encarquilhadas. Por momentos vislumbrei o futuro daquelas atletas (foram os comentadores quem disse que eram atletas, não fui eu!) e, mesmo tendo noção que sou a pessoa menos graciosa e com menos ritmo da margem sul do Tejo, sorri e fui dormir.

Karvela (que usa demasiadamente os advérbios de modo)

2 comentários:

Zariza disse...

Só mesmo tu para estares horas em frente ao televisor a ver danças de salão... Mas amiga quanto á patinagem artistica concordo tanto mas tanto contigo.

Arnaldoooooo disse...

Danças de salão é mais na RTP1 Sábado e DOmingo....