terça-feira, fevereiro 14, 2006

O mar enrola na areia, ninguém sabe o que ele diz,
bate-me nas pernas e derruba-me, porque me quer infeliz!

Nos capítulos anteriores: "odeio palhaços"; "odeio tunas"; "odeio circo".

Hoje:
ODEIO O MAR
Começo por dizer que não odeio realmente o mar. Só tenho um pavor intenso. Para mim o mar não é tranquilo nem calmante... é uma massa de água gigantesca que me engolirá mal tenha hipótese. Por isso, tal como não me vou enfiar dentro do fosso dos ursos no jardim zoológico, também não me vou banhar no mar.
Enumero as razões: é salgado, é frio, tem ondas, atira-nos para a berma ou leva-nos para as profundezas, tem algas, tem peixes, tem alforrecas; quando voltamos para a areia está frio, estamos molhados, o fato de banho seca no corpo e isso faz horrores à pele, ficamos com areia nos recantos especiais; quando tentamos entrar há sempre uma onda que faz splash nas costas quentes, quando tentamos sair há sempre uma onda que nos enterra a cabeça na areia; a maresia suja-me os óculos, o barulho das ondas nas rochas é medonho; o tsunami veio do mar.
Só há dois mares que eu desgosto menos: o mar Mediterrâneo e o mar das Caraíbas. E só quando estão calmos e se consegue ver o fundo, tipo piscina. Ah, também não sou grande fã de piscinas. As pessoas fazem chichi nas piscinas.
Karvela (o ódio continuará dentro de momentos)

2 comentários:

Dauphin disse...

Pior que isso, só uma gaja com corrimento no mar!
Xiça, sabes destruir as ideias das pessoas... o mar é lindo, caraças!

Bloodymary disse...

O Mar é lindo...Concordo que a imensidão assusta,por vezes angustia até,mas é lindo.Tens de vir aos Açores: vou mostrar-te um Mar diferente do que conheces (tem de ser visto debaixo de estrelas)...