quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Extreme makeover
ou
Ainda e sempre a porcaria da televisão!

Há reality shows que eu papo sem hesitar e sem remorsos - Big Brother, Quinta das Celebridades, Loft (uma espécie de Big Brother francês), The Apprentice, O Esquadrão da Moda e outros nesta onda - mas há outros que me deixam com sentimentos mistos. E um desses é o Extreme Makeover. Neste programa as pessoas ficam com caras e corpos completamente novos e diferentes porque lhes é proposto uma série de cirurgias estéticas. Por um lado é bom porque as pessoas podem melhorar aspectos corporais que não gostavam; mas por outro é horrendo porque acaba por promover uma imagem corporal idealizada pelos americanos, que querem que toda a gente se pareça com a Barbie e com o Ken.
Ontem era um casal. Feios que sei lá, mas tinham um ar tão apaixonado e tão querido que era enternecedor. Fizeram coisas úteis, como a correcção da miopia ou a remoção das gorduras no queixo, que faziam com que parecessem ter mais 10 anos. Mas depois exageraram. Se algumas cirurgias eu ainda entendo, como a rinoplastia, a correcção das pálpebras ou mesmo a liposucção, não me cabe na cabeça a noção de implantes de maçãs do rosto ou implantes de queixo! Por isso fiquei com sentimentos duplos ao ver este reality show em particular, e ainda não sei muito bem o que pensar.
Não acho válido o argumento do voyeurismo doentio quando se trata de ver estes programas; as pessoas que se sujeitam aos reality shows não vão amarradas, e os espectadores têm opção de mudar de canal. É como a história da violência em horário nobre... não me lixem, se os putos não devem ver violência e sexo, mudem para o Panda ou para a 2:! Mas onde é que está o limite? Haverá limite? Quem me conhece sabe que eu sou apologista da liberdade total: fazer o que se quer, com quem se quer, por tudo e/ ou por nada, sendo que os limites são os direitos de terceiros e a lei do país onde se vive. Por isso, quem terá suficiente autoridade para rotular de excessivo algo que não ultrapassa nenhum destes limites?
Filosofias matinais são cansativas...
Ainda ontem à noite estive a ver Jackass, The Movie. Não sou grande fã da série Jackass porque me parece bastante escatológica. Mas este filme está quase no limite da perfeição. Cenas memoráveis: Bam Margera a dizer que apostava que conseguia fazer a mãe dizer "fuck" e, para o efeito, pôs um crocodilo na cozinha; Steve-O a snifar wasabi (até a mim doeu!); Johnny Knoxville com rocket skates (hilariante!!!); e o clássico bungie-wedgie (só visto... mas meninos, não façam aquilo em casa. A sério, não façam!)
Karvela (carregadinha de verve, hoje!)

Sem comentários: