domingo, novembro 13, 2005

Maré de azar
ou
Não podemos ter tudo...

Depois do grito do Ipiranga que foi despedir-me do emprego detestável, tivemos cá por casa um momento de azar. O exaustor ardeu e o que se viu foi um bonito trabalho de equipa a três. Um dava ordens sem desviar o olhar do fogo, outra executava... e uma terceira gritava. A piada agora é: "Nós, cá em casa, somos um quartel inteiro - eu sou o bombeiro, tu és o carro, e a tua mãe é a sirene!"

Karvela (cujo gato ainda tem fuligem nas patas)

5 comentários:

Anónimo disse...

Uma história que só a Karv pode acontecer.

Odd

AlIllis disse...

Em solidariedade com o protesto da escum... perdão cidadãos marginalizados de França os cidadãos portugueses começam também a incendiar coisas.
Só esta noite, arderam 32 aquecedores a óleo, 17 cobertores eléctricos, 6 televisões, e 1 exaustor. Preve-se que esta vaga de incendios não pare até à demissão do ministro Sarkozy...

Anónimo disse...

Ainda hoje, também protestei....queimei 4....fósforos....

Odd

Dauphin disse...

Porra, o emprego era assim tão mau? Vá, vá, Brasil independente, apesar de tudo... Mas se tens tanto jeitinho de mãos, podias ir lá a casa com a tua equipa e desentupir o escoamento ao pé da garagem, que desde as últimas chuvas não funciona em condições. É trabalho digno de bombeiro, deixa-te de merdas!

Undisclosed Recipient disse...

Em relação aquilo, trabalho de bombeiro seria um prazer!